Trilheiros de Pirassununga - Minhoca Atolada**** Tropa do Brejo****Barro no Zóio***

terça-feira, 14 de julho de 2009

Teste Honda XRE 300 2010

Substituta da Tornado chega mais sofisticada e com nova proposta

Nova Honda XRE 300

Prevista para chegar aos concessionários no mês de agosto, o novo modelo nascido a partir da XR 250 Tornado vem com motor de maior capacidade, injeção eletrônica, ciclística aprimorada e uma nova proposta de posicionamento no mercado.

A XRE 300 chega com a dura tarefa de atender os orfãos de dois modelos de grande sucesso da marca que deixaram a linha de produção ao final do ano passado: XR 250 Tornado e NX4 Falcon. Para isto a fábrica apostou antes de tudo em um design ousado. Os detalhes do modelo e nossas impressões após a apresentação realizada à imprensa no CETH (Centro Educacional de Trânsito Honda) em Indaiatuba, SP, contamos abaixo.

Design agressivo

Modelo chega ao mercado no mês de Agosto

A primeira vista o visual da nova trail, ou melhor, adventure média da Honda, pode chocar os mais tradicionalistas. O conceito da XRE é o de "adventure touring", que encara tanto o dia a dia dos grandes centros urbanos quanto viagens e suas linhas deixam isto claro.

As linhas de seu design são agressivas e dão porte à motocicleta que tem seu assento 2 cm mais baixo que a Tornado. O farol, mais potente, é fixo na carenagem deixando as manobras com o guidão mais leves. O banco em dois níveis foi redesenhado para dar mais conforto ao garupa. A nova posição evita os frequentes escorregões do passageiro para cima do piloto tão comuns na Tornado. As pedaleiras traseiras também foram reposicionadas com a mesma intenção. Quem vai atrás ganhou também novas e bem acabadas alças de segurança.

Mas o ponto de "destaque" do design é o paralama dianteiro fixo, onde muitos "Tornadeiros" à primeira vista torceram o nariz. Solução já usada em modelos grandes da Suzuki, KTM e BMW tem a vantagem de não vibrar em altas velocidades, interferindo menos na aerodinâmica da motocicleta. O "bico de pato" é complementado por um pequeno paralama rente à roda que deve ser retirado no caso de incursões no barro pesado, pois a chance de travar o conjunto será grande.


Design ousado marca a identidade do novo modelo

Ciclística

A ciclística permaneceu bastante próxima a da Tornado

Painel digital inclui relógio e marcador de combustível.

A Honda fez questão de manter a alma da Tornado neste aspecto. As mudanças foram amenas no ângulo de cáster e distância entre-eixos. A suspensão dianteira permaneceu com curso de 245mm enquanto a traseira ficou com 225mm, praticamente o mesmo que a Tornado com o amortecedor traseiro montado na posição mais baixa - na posição alta o curso era de 242mm. Na XRE 300 não há mais essa regulagem.

Uma boa novidade foi a adoção do freio a disco traseiro, com pinça de pistão simples e disco de 220mm garantindo maior precisão e segurança nas frenagens. Na nossa opinião este é um item indispensável em qualquer motocicleta acima de 125cc. O tambor já devia estar banido das linhas de montagem há algum tempo.

Motor

Apesar da configuração e visual semelhantes, o 250cc da Tornado e o motor da XRE 300, compartilham apenas as válvulas segundo os engenheiros da Honda. Todo o resto é novo, principalmente o sistema de alimentação.

A injeção eletrônica chegou e uma das principais preocupações da fábrica foi com o nível de emissões. O novo motor atende aos níveis do PROMOT com margens ao redor de 50% inferiores aos limites do programa.

A potência subiu de 23,3 para 26,1 CVs na mesma faixa de 7500 rpms. No torque o ganho foi mais expressivo passando de 2,42 para 2,81 kgfm, uma melhora ao redor de 16%.


A maior elasticidade do motor permitiu reduzir o número de marchas de 6 para 5. A relação da primeira e última marchas permaneceu a mesma enquanto a distância de escalonamento nas marchas intermediárias aumentou.

Segundo a Honda o nível de consumo - apesar da fábrica não divulgar números - permanece o mesmo apesar do aumento de capacidade e desempenho. Neste ponto a injeção eletrônica faz seu papel com recursos como melhor aproveitamento conforme as condições climáticas e o "cut-off" que corta a alimentação durante as frenagens e descidas quando o acelerador permanece fechado.

Como anda a XRE300?

Os 10kg ganhos com a reestilização são bem percebidos com a moto parada. Mas em movimento essa diferença desaparece. O painel e o farol suspensos, acoplados na carenagem, são uma boa sacada. Deixam a moto mais maleável e neste ponto a sensação não é de uma moto com 144 kg, o guidão trabalha livre e solto.

O motor tem o funcionamento suave e progressivo, embora os ruídos mecânicos estejam bem presentes, uma herança da Tornado, característica dos motores refrigerados a ar.

No asfalto o conforto, o equilíbrio e a segurança são claramente superiores à sua antecessora. A posição de pilotagem é bem diferente, mais baixa e encaixando o piloto na moto, sutilmente diferente da antiga trail de postura mais ereta, mas com diferenças significativas no comportamento, muito mais eficiente nesta utilização.

Demos também umas voltinhas pelo campo e por estradas de terra, onde ela não decepcionou. O conforto, mesmo com garupa, é surpreendente. Subindo e descendo pequenos barrancos, e degraus, ela foi bem com os freios transmitindo muita segurança. Para passeios leves é uma moto gostosa, encara bem a terra.


Posição de pilotagem ficou mais "on" e menos "off"


Vai à trilha?


Off-Road leve não é problema para a XRE300
Hoje a estratégia da Honda define bem a atuação de cada um de seus modelos. O consumidor deve seguir a mesma linha, ou seja, "cada macaco no seu galho". A XRE 300 encara o trânsito com conforto podendo também enfrentar viagens onde estradas de terra não serão problema, mas quem busca o off-road pesado deve pensar na CRF 230, um modelo totalmente focado no segmento (ou então os modelos profissionais importados e consequentemente mais caros).

Mas a XRE encara uma trilha? Ela herdou da Tornado suspensões de longo curso, evoluiu em freios e motor, por isso andar no mato, claro, é possível... mas definitivamente este não é o foco do modelo. Para usá-la na trilha há necessidade de depenar toda moto (o novo "bico" dianteiro não combina com mata fechada), mas mesmo realizando dezenas de modificações, a "alma" do projeto é "estradeiro" (e isto não muda). Portanto, como dito no início deste parágrafo, adote a linha "cada macaco no seu galho" e seja feliz.

Mercado

A previsão da Honda é de vender em torno de 40.000 unidades da XRE 300 no período de 12 meses. O preço sugerido é de R$ 12.890,00 (base Estado de São Paulo) e não inclui despesas com frete e seguro. As opções de cores são as seguintes: preta, vermelha e amarela metálica A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.



Opinião do piloto


Pilotamos a Honda XRE 300 nos ambientes propostos ao modelo: no circuito com cones formado nos "boxes" do CETH de Indaiatuba, nas estradas asfaltadas dos arredores, em estradas de terra com garupa e um pequeno off-road leve em pastos da região.

Podemos afirmar que o modelo caminhou na direção certa em relação a nova proposta. No asfalto a principal diferença em relação a Tornado é o melhor equilíbrio nas frenagens e entradas de curva. Com a XRE 300 é possível abusar bem mais nas entradas de curvas. A motocicleta mantém a trajetória desejada sem sustos enquanto a Tornado perde a traseira bem mais cedo e consequentemente abre o traçado.

O fato do guidão estar livre do peso de painel, paralama e farol ajuda e muito na maneabilidade em curvas fechadas e no zig-zag do trânsito das grandes cidades.

Na estrada os 50cc a mais fazem a diferença facilitando a manutenção de velocidades acima dos 100km/h. A carenagem protege bem o piloto enquanto o novo paralama evita as vibrações na dianteira por causa do vento. O tanque maior também ajuda na maior autonomia.

Um dos principais trunfos da XRE 300 é o conforto do garupa. O novo banco mudou a sensação do garupa da água pro vinho. Quem vai atrás fica numa situação bem mais estável o que reflete também nas reações mais seguras do piloto. Mesmo na estrada de terra, com cascalho e piso bem irregular, a vida do passageiro não foi uma tortura, pelo contrário, foi possível trafegar com um nível adequado de conforto para a situação.



Off-Road - Sem muitas delongas: ela encara um off-road leve e só. De pé a posição do piloto é muito parecida com a Tornado, mas o volume maior do tanque e a extensão da carenagem limitam bastante a mobilidade do condutor.

Ele encara as voltinhas no sítio ou fazenda com muita competência e volta para a cidade fazendo um bom trabalho. Mas para quem quer mesmo se enfiar nas trilhas ela não é uma boa escolha, pelo peso, posição de pilotagem e a quantidade de adaptações para deixá-la em condições de enfrentar o barro.

Motor - Tirando as reações um pouco ríspidas no início das reacelerações (quando se fecha completamente o acelerador em baixas rotações e se acelera tudo novamente) o motor nos agradou bastante.

A injeção eletrônica trouxe um funcionamento bastante linear com boa força em baixas e médias rotações. Graças a elasticidade do motor o câmbio, mesmo com uma marcha a menos deu conta do recado muito bem, sem buracos ou falta de agilidade entre as trocas. A manutenção de velocidades acima dos 100km/h também ficou mais fácil graças ao maior fôlego do motor.
Redação MotoX.com.br - Fotos: Lucídio Arruda / Maurício Arruda / C. Mattos / Honda

28 comentários:

Dario disse...

Ficou muito estranha essa xre,que maldade fizeram om a tornado,e quem é que vai comprar uma crf,que é só pra uso em trilha,sendo que queremos uma moto de uso misto,papel que a tornado fazia muito bem.vais deixar saudades.........

Anônimo disse...

Parabéns a Honda. A moto ficou muito bonita e com um bom custo benefício considerando a tecnologia utilizada. Infelizmente existem pessoas que não entendem, não querem entender e nunca entenderão sobre os assuntos relacionados à motos. Só criticam sem ao menos se esforçarem para aprender noções básicas de mecânica, mercado, concorrência, tendência, produto, design, pilotagem e etc... É uma pena. Espero que a nossa nação continue crescendo culturalmente baseado em bons exemplos pois a maioria ainda é composta por ignorantes.

leandro disse...

bem lembrado.... tem muita gente que nao entende nada!!!!!

Anônimo disse...

Se a proposta da xre 300 era substituir a Tornado e a Falcon ao mesmo tempo, creio que os fãs da Falcon ficarão órfãos. A xre 300 substitui muito bem a Tornado, com um design bacana e um avanço considerável na relação consumo/desempenho, porém àqueles que curtem uma viagem um pouco mais longa, e até então se utilizavam do conforto, em termos de pilotagem e desempenho (guardada as devidas proporções) da Falcon, ainda continuarão sem maiores opções.

Anônimo disse...

é realmente comprar uma falcom segunda mao ou esperar lançamento aí!!!

Anônimo disse...

Acabei de trocar minha Falcon por uma XRE. Estava meio que com receio de uma grande decepção, mas o que aconteceu foi uma grata surpresa. Estou adorando a moto. Aquela impressão inicial foi por terra e percebi que fiz a coisa certa e adquiri uma moto mais racional para o meu tipo de utilização mais urbana. A Falcon era beberrona para a cilindrada e consumia muito pneu traseiro, esse de custo maior do que o da XRE. Além do que a XRE é bem mais moderna em termos de alimentação de combustivel, vez que usa injeção eletrônica. Não tô nem um pouco arrependido da troca, apesar de que a Falcon também é uma excelente moto, só que se foi. É o mercado!!

Tatiana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana disse...

Estou justamente com essa dúvida, uma Falcon, ou uma XRE? Esse negócio de que a Falcon já era ...não sei, quando uma moto é boa mesmo não tem isso não. E a economia, é tão grande assim, na troca da Falcon pela XRE? Vale a pena?

Anônimo disse...

XRE300 DEFEITO Comprei esta moto 0Km e ela esta apresentando defeito na partida apenas com 13Kms, pelo que pesquisei na internet tem ocorrido com várias pessoas, o que fico mais triste é a Honda utilizar de nos clientes para testar seus lançamentos e termos que pagar por isso. Eles ainda não sabem ao certo o que é, já deram uma carga na bateria e semana que vem irão trocar a bomba de gasolina, que eles ainda não tem essa bomba, uma pena a Honda fazer isso com seus clientes.

J Júnior disse...

Comprei uma XRE 300.Já tive uma Lander, uma Fazer e acho que fiz uma ótima troca. Em relação ao problema na partida por enquanto está tudo ok.

Thiago disse...

Fiz 5.000 KM rodados na minha, já tive uma Lander, e viajei 2.300 km em um Falcon. Na tornado só dei voltinha pequenas mas estou muito satisfeito. Não é moto para encarar trilhas e mata fechada mas dá pra subir uns barrancos..

Anônimo disse...

E para viagens longas? A XRE manda bem como a Falcon ou só quebra o galho?

kastr0_ disse...

A Honda deve ter pago bem mesmo pra falarem bem da XRE-300, se entrar no site da Honda na parte que fala deste modelo vai ver lá MELHOR COMPRA QUATRO RODAS MOTO 2009, eu comprei uma dessas XRE-300 com injeção eletrônica e a moto apresenta dificuldade para ligar e para se manter funcionando em marcha lenta, sendo assim levei a moto para a concessionária que eu comprei a moto para ser realizada a manutenção necessária. Fiquei surpreso ao saber que a honda já estava ciente de que estava ocorendo esse tipo de problema nesse modelo e está orientando os funcionários a dizer que é normal. Vem escrito no manual e no folder informativo sobre este modelo: * NÃO EXISTE AFOGADOR EM SUA MOTOCICLETA, pois o sistema identifica e ajusta automaticamente a melhor condição de partida, seja com o motor frio ou quente. * NUNCA ACELERE DURANTE A PARTIDA, uma vez que o sistema realiza os ajustes necessários automaticamente e pode interpretar as condições erroneamente dificultando a partida. * O sistema de Injeção Eletrônica de combustível ajusta automaticamente o funcionamento do motor de acordo com a sua temperatura, podendo eventualmente provocar variações na rotação, consideradas normais. Como eles podem dizer isso antes antes da compra ser efetuada, e colocar no manual e depois que eu comprei a moto dizer que é normal esse mal funcionamento? Como podem dizer que é a melhor moto para se comprar? Como isso pode acontecer e não há nada que eu possa fazer!?

Ítalo disse...

Bonita a moto, mas ainda acho que a Honda deveria ter insistido no nome de Tornado e ter assemelhado mais nas linhas da eterna Tornado

Anônimo disse...

Acompanho o mercado de motos a uns 20 anos e sempre tive moto e entendendo ou não do assunto de uma coisa eu sei: ESSA MOTO FICOU HORRIVEL!!!!

Alcy disse...

Comprei uma e estou muito satisfeito com o desempenho! Uma moto de uma estabilidade incrivel, anda muito. Já alcancei uma velocidade de 140 km/h na reta. Eu recomendo.

Vinicius BHMG disse...

uma preta 010/010 - O unico problema da minha é que quando estou nela não quero sair mais.....tudo ótimo....
Parabens a Honda e a todos.

Anônimo disse...

Bom Galera, eu tenho uma XRE 300 comprei OK e já colequei na trilha não tem moto nacional melhor, quem reclama será que sabe msm tocar uma moto como essa ou não tem e fica tacando o pau na moto. Galera o negocio é o seguinte NA DUVIDA ACELERA...

Luiz Gustavo disse...

e ai turma, ja ta no comp os videos da canastra, eu vo joga na net pra quem quiser baixar, mas isso vai demora uns dias caso alguem passar aki no porto pode pega um dvd com os videos, aki na ceramica burguina, é do lado da mar girius, só atravessa o corguinho só pergunta q todo mundo conhece, pega o dvd com a secretaria msm, caso eu não esteja na firma, mas quem tive foto ou mais video vamu compartilha tb, ou me arruma um dvd q eu jogo na net pro pessoal ou me passa d alguma voutra maneira, qq duvida:
msn: ceramicaburguina@ig.com.br
skype: gu_burian

abraço pra todo mundo

Luiz Gustavo disse...

boa tarde galera, pra quem quiser ver os videos da canastra é só baixar pelos links:
http://www.4shared.com/file/UtBacQMB/pasta_2.html
http://www.4shared.com/file/3xZv_d86/pasta_4.html
http://www.4shared.com/file/ir0JZJI3/pasta_3.html
http://www.4shared.com/file/0xpbd2PB/pasta_1.html
http://www.4shared.com/file/-YiL0PYx/pasta_5.html
http://www.4shared.com/file/eiaCluG9/pasta_6.html

Para assistir é pelo windows media player, cada link contem 1 pasta zipada com media de 5 videos, eu vo ta na trilha de tambau e vo leva um dvd com os videos, quem quiser pode pega comigo, e quem tiver fotos me passa por favor, eu jogo na net e compartilhamos com todo mundo... abraços a todos

Aventura pela Transamazônica disse...

Olha, apesar dos comentarios contras eu vou tirar uma pra fazer uma viagem de porto velho - RO a cabedelo - PB, pela transamazonica.


aventurapelatransamazonica.blogspot.com

Alexandre Bandeira (xande)

Anônimo disse...

O pessoal que critica é pq nao tem condições de comprar uma...
rsrsrs

A minha é preta com freio ABS uma otima moto e um freio sem bo demais cara!

Anônimo disse...

Tornado é uma boa moto, já tive e não deixa nada a desejar a nenhuma moto de seu estilo.
Comprei recentemente uma XRE300 acho tambem uma boa moto...seu design futuristico é questão de se acostumar, pois a Tornado quando lançaram tambem achavamos feia aquele paralama, o farol pequeno etc etc...

Edson Zopi disse...

minha xre 300 - com 6000km , sempre revisada, ta vazando óleo na parte superior do motor, quando esta fria ao ligar oscila muito, e a propria concessionária não acha a solução, já foi trez vezes para garantia, a ultima vez ficou por 25 dias, é realmente uma moto para teste e não poderia ir a venda, pois tenho a 5 meses e só usufrui por 2 meses o resto é só oficina de garantia, averiguem antes de comprar eu me arrependi muito.. pois meu sonho era utilizala para ir a MG.

Anônimo disse...

A onda da moto Honda é o seguinte, qualquer moto HONDA requer tempo para o dono se acostumar com o veiculo e o veiculo (moto) de acostumar com o dono, vazamentos e outros defeitos pequenos que aparecem sai na urina, pois tudo o que é feito pelas mãos do homem ou por maquinas apresenta defeito, seja em moto, carro, eletro eletrônicos até mesmo bicicletas são assim. Agora se querem ter perfeição tentem fabricar uma moto que não lhes de dor de cabeça em momento algum. Ou então comprem uma R1, HAYABUSA, SHADOW ou até mesmo uma XT 600, ainda vão correr o risco de ficarem no prego seus pregos!

Anônimo disse...

O problema não é se da problema, pois toda maquina esta sujeita a ter algum problema de fabricação, o maior desespero é se a assistencia nao resolve o problema, não é o caso e se for aconselho procurar outra assistencia antes de meter o pau na moto

Anônimo disse...

Você acha que isso é problema meu amigo??
Então você ainda não sabe o que é um legítimo problema...
Problema de verdade é subir e depois ter que descer esse tal de top do capim gordura que os irresponsáveis aí abriram...
E pra quem tem hangluse então, daí é um problemÃo!

Jefferson disse...

Querem comparar a falcon e a tornado entao deveria ser uma moto de trilha.
TIraam 100cc da falcon e colocaram 50cc na tornado isso eh um absurdo ela nao tem anda a ver com a grande falcon.
Eu estou disposto a comprar uma falcon vendo esses comentarios mudei muito de ideia quanto a XRE 300 eu gosto de viagens a citios ruas de terra trilhas e ela soh veio pra ferrar a falcon que nao chora pra nada.
Falando em motor tbm a cb 300 que veio substiruir a bela twister de motor eh soh mentira os finais da motos honda sao todos parecidos soh querem nos fazer engolir carenages bonitas e os problemas continuam os mesmos e motores fracos.