Trilheiros de Pirassununga - Minhoca Atolada**** Tropa do Brejo****Barro no Zóio***

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

FELIZ 2010

Saudações terráqueos......

Mais um ano se finda, e com ele passamos excelentes momentos juntos, na lama e na terra. Ta certo que esses últimos dois meses nos afastamos das trilhas pela chuva que não para de cair, porém sempre presentes e unidos os trilheiros estão juntos, nem que seja para um happy hour.

Não podemos esquecer também de nossas quartas feiras na NOSSA CHÁCARA, onde regado a um jantar colocamos o papo em dia e confabulamos sobre nossas “magrelas”.

Alguns encontros e viagens marcantes durante o ano, onde fortaleceram os laços de amizades.

Serra da Canastra, lugar esculpido e incomparável a qualquer outro bioma na esfera “trilheira”.

São Sebastião da Grama, um dos melhores encontros e onde construímos amizades. Aliás os trilheiros de lá estão nos devendo uma visita.

Desejamos a todos um FELIZ 2010, que todos os sonhos se concretizem, alicerçados em saúde, paz e harmonia.

Que em 2010 façamos mais trilhas e viajamos muito mais.

Como sempre digo, se melhorar, melhora, mas como pode piorar, deixa como está.

ABRAÇO A TODOS

*** FELIZ 2010 ***
são os votos de todos o pessoal do Pira na Trilha.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Viagem p/ Itamogi/MG

Saudações terráqueos

Sabadão 28/11 fomos para Itamogi/MG, Jé, Cuié, Tííííu, Dú, Charlão (mais conhecido como Burro) e Pardal (Sta Rita).

Saimos as 8:30 do posto Aeroclube conforme combinado, passando por Porto Ferreira onde começou a chuva. Colocamos as vestimentas adequadas né Dú ?? sacão de lixo de 100 lts kkk.

Depois passamos em Santa Rita para pegar o Pardal e posteriormente em Santa Rosa para mandarmos um pastelzinho pro bucho. Foi onde o Dú verificou que precisaria de um pequeno reparo em sua cabrita, para ser mais preciso no pedal de câmbio.

Sanado o problema, pertimos novamente. Passamos por inúmeras cidades, um chão mais liso que quiabo engraxado, mas sem maiores surpresas.

Chegamos em Itamogi umas 18:00 horas aproximadamente hehe.

O Burro só queria gelo.

Nos acomodamos no hotel xing ling, onde tínhamos marcado reserva, e esperamos são Pedro mandar agua novamente, desa vez sem piedade.

Pegamos chuva no retorno até Pirassununga.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Sabado 14/11 - enviado por Ramom

Fala galera,

Sabadão estavam presente Ramon, Mongo, Tambaú e Nicão. Como estava muito calor saímos antes, e fomos para a TRILHA DO JIPE, como sempre aquela avenida. Fomos então direto para o CARRAPICHEIRO, onde depois de algumas subidas encontramos o resto do povo: Maurício, Samuca, Cotonete, Ademir, Matheus, Fernando, Diego e um amigo dele.

Saímos e fomos para o PALMITERO, onde a moto do Samuca quebrou e ele foi rebocado pelo seu Pai embora.

A partir daí fizemos alguns CIRCUITINHOS rumando para as 3 casinhas, onde no meio de um desses, o Diego encontrou uma regueira (a mesma que o Samuca achou esses tempos atrás) levou um belo de um capote e deslocou o ombro, ficou meio desalinhado o menino, mas conseguiu colocar o ombro no lugar e voltou com o seu amido da DT-200.

Depois fomos para o RISCO BRANCO, acho que é esse o nome, como ta cheio de lombadas no meio o povo apanhou um pouco, mas alguns subiram.

Fomos então para o VELOTERRA, só pra dar uma olhada mesmo, pois o que sobrou da galera já tava todo mundo só o caco. A partir daí fizemos o tradicional caminho de volta pelo mamonal.

Acho que isso mesmo, até sabadão galera.

Sabadao

Saudações terráqueos

Sábado retrasado teve o rolê costumeiro, e para nossa surpresa o Dú estava cansadinho e o Jota tomou conta do berne dele e acelerou.
Bom chega de lenga lenga e vamos aos fatos.

Presentes: Jé, Jota, Mauricio, Zeromeia, Samuca, Cotonete, Tambaú, Tuco e não lembro mais quem rs

Saímos e fomos direto ao CARRAPICHEIRO, mas antes aceleramos no circuitinho do BELO e depois sim, ficamos zoando no CARRAPICHEIRO.

Depois alguns subiram o PALMITEIRO, que por sua vez estava úmido na largada, mas depois no meio do top estava uma avenida.

Depois saímos acelerando pelos circuitos sentido as 3 CASINHAS, e foi em umas dessas curvas que nosso amigo Jota adquiriu alguns palmos de terra. Se perdeu e se achou kkkkkk, macetando suas propriedades kkkkkk.
Chocalhou a terra e mão na máquina novamente.

Depois das 3 casinhas fomos ao VELOBRIGA, mas antes passamos no Paulão para completarmos a “coragem” kkkk, onde fomos recebidos com sua famosa caipirinha.

Demos algumas voltas no VELOBRIGA e depois partimos.

Sábado passado também teve o role, porém não fui e ainda não passaram o resumo.

Trilheiros só sei de uma coisa, o calor ta iskizito.

Sábado tem role de novo. Até lá pessoal.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Tempo curto

Amigos, queria me desculpar com todos pela falta de postagens.
Esta uma correria danada, mas semana que vem tudo volta ao normal amigos.
Obrigado pela compreensão.
Abraço a todos.
Só pra saberem aos sabados esta rolando a tradicional trilha depois indo para o Veloterra.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Resumo sabado 24/10

Saudações terráqueos

Sabadão 24/10 rolou uma trilhinha. Estávamos um pouco desfalcado, pois no domingo teve o encontro em São Sebastião da Grama onde foram já no sábado, Cuié, Tíííu (de kadela nova), Dú, Tambaú e Passoca.

Por aqui presentes: Jé, Matheus, Zeromeia, Samuca, Tuco, Kallel, Tripa e Mauricio. Em virtude do horário de verão e o sol que estava arrebentando mamona, saímos as 15:00 horas.

Partimos para o circuitinho do BELO, depois subimos algumas vezes o CARRAPICHEIRO e depois o PALMITEIRO, onde o Tripa por pouco não conseguiu.

Saímos acelerando sentido Rafa com destino as 3 CASINHAS, e foi nesse circuito que houve um incidente. Em razão das fortes chuvas que assolaram nossa cidade, acabou abrindo uma big regueira nas 3 CASINHAS e como de costume estávamos de cabo enrolado, e em uma curva a regueira “entrou” na nossa frente. Resumindo, Jé que estava na frente se esquivou, o mesmo aconteceu com o Samuca, já o Matheus e o Zeromeia não tiveram a mesma sorte e acabaram embolando após adentrarem com as respectivas kadelas na regueira. Saldo do incidente: Matheus voltou pra casa.

Continuamos sentido VELOBRIGA, opa, quer dizer, VELOTERRA, que por sua vez estava tão duro o chão que parecia asfalto pedrificado.

Estávamos de papinho cheio, resolvemos voltar. Antes da entrada do engenho, onde fizeram uma cacimba, onde só Jé e o Samuca tiveram coragem de subir, acabou a gasosa do Zeromeia, então regressamos.

Foi mais ou menos isso pessoal.

Grande abraço a todos.

Sabadão tem mais.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

RESUMO DE SABADO DIA 17/10/2009 - elaborado por Kallel

Teve um role presente na mesma hora e local: Mauricio, Heitor, Célio, Samuel com o seu amigo da XLX 350 que não sei o nome, Mongo, Ademir, Celso, Matheus, Marcelo e Tambau.

Saíram rumo a carrapicheiro eu acho que este nome, pois faz tempo que não ando, não sei ainda o nome das trilhas novas blz, foi ai que apareceu o Kallel e isto mesmo o Kallel, kkkk onde todos ficaram brincando.

Saímos rumo ao velo terra, onde o nosso amigo Mongo teve um problema com o freio , o nosso amigo Marcelo sumiu num buraco na estada , o cara da XLX 350 que levou um tombo perto do fura tanque o pneu do Ademir que furou do resto foi tranqüilo e estava esquecendo o Celsão e o Cara o cara pensa e tudo ate na laranja kkkk .

Desculpa-me ao amigo do Samuel, pois não sei o nome dele blz, me desculpa se eu esqueci de alguém.

E sábado tem mais.

O moçada eu acho que foi mais o menos isto.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Resumo que não teve

Saudações terráqueos.

Primeiramente queria esclarecer que essas ultimas 2 semanas não houve resumo das trilhas pelos fatos a seguir:

Final de semana do dia 11/10 só alguns fizeram uma trilhinha : Cuié, Joaninha, Samuca, Cotonete, Celso, Marcelim, Nicolas, Broinha. Já, Zeromeia, Mauricio, Dú, e Jé partiram direto para o circuito de veloterra do zeromeia e tivemos a visita do Fanta. Demos muitas voltas, vários tombos mas so machucando o orgulho. Adamos sábado, domingo e segunda (feriado 12/10)

Já na semana do dia 18/10 alguns foram andar, que eu saiba , Mauricio, Kallel, Mongo, Tambau (de kadela nova) e Samuca, depois foram todos para o veloterra do zeromeia.
Estou no aguardo do resumo.

Ainda nesse ultimo final de semana teve encontro em algum lugar que não lembro o nome kkk, onde fomos representados por nossos amigos Cuié, Miruka, Thor e Luizão.

Essa semana o pessoal acelera novamente.

Abraço a todos.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Compro TORNADO

Compro tornado com documento
Falar com Fernando
(19) 9837.5031

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Convite

Saudações terráqueos

Galera é o seguinte, domingo 25/10 vai rolar encontro de moto em São Sebastião da Grama, e alguns trilheiros de Pirassununga estão se preparando para prestigiar mais uma vez nossos amigos da Grama.

Convite estendido a todos.

Abraço.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Vídeo

Um vídeo de EnduroCross que vale a pena ser visto:

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Resumo sabadão 03/10 - enviada por RAMON

Saudações terráqueos,

Sabadão 03/10 rolou uma role até o VeloTerra com o pessoal de Leme, ou pelo menos tentamos neh, pois o bicho tava feio heheeh.

Pois bem, como o pessoal já ia direto para o circuito, alguns foram esperar o povo de Leme na lagoa (Ramon, Samuca, Carlinho, Broinha, Matheus, Fernando, Mongo, Tuco e ARI) isso mesmo ARI, acho que a chuva foi ele que trouxe.

Depois de ter alertado o pessoal de leme dos perigos no caminho, já bem conhecido por alguns deles, saímos rumo ao circuito do BELO, até ai tava tudo uma maravilha, apenas uma leve garoinha.

Brincamos um pouco no CARRAPICHEIRO, onde apesar de bem liso, deu pra brincar tranqüilo. Muita gente de Leme também se divertiu com o TOP, desculpe não lembrar o nome. Apenas alguns tombinhos que não machucaram mais que o orgulho.

Com a brilhante idéia minha (Ramon) e apoio incondicional do partícipe MONGO, resolvemos antes de ir para o VELOTERRA, descer a CASCAVEL. Alguns mais conscientes resolveram não embarcar na furada e foram pela pista mesmo (sorte deles !!!).

Então, descemos até que com certa tranqüilidade. Por estar bastante liso e com a garoa ainda persistindo, o povo de Leme não arriscou muito e desceu em pé, fora das motos.

Tentei uma vez na 51, mas tava impraticável. No SACO ENSOPADO foi que FU$%#¨& de vez. Primeiro a descer foi eu, tava muito liso, pois o chuvisco já havia se transformado em chuva, levei uma vaca lá em baixo, a moto não parava de jeito nenhum, e o único jeito foi ejetar dela. Quando voltei pra ajudar o segundo a descer, aquela chuva já havia se transformado em tempestade, o dono da moto (DRZ) apenas mirou ela na pedra, desceu e soltou ela ribanceira abaixo.

Nisso já tava chovendo até pedra, e o povo de Leme perguntando se não havia outra saída. Como a resposta foi negativa, todos desciam com a moto empurrando e na ponta da pedra deitava ela e mandava ladeira abaixo, sem dó. A regueira que já tava bem profunda, virou um verdadeiro riacho. Foi quando um de Leme (CRF-230) resolveu descer em cima da moto. Minha nossa ! ! !. Sabe aquela raiz que se bobear toma uma “bancada” na nuca? então, ele tomou. Caiu lá e só parou uns 10 metros depois da pedra, já lá em baixo. Desceu igual como se fosse um escorregador de parque aquático, pena que esqueceu a moto lá em cima hehe. Apesar do susto, caímos na risada a hora que ele levantou.

Depois de todos descerem, ou melhor, empurrarem a moto. Ainda com espírito esportivo rumamos para o VELOTERRA, mas no meio do caminho, veio outro pé d’água, ai foi sacanagem. Não dava nem pra respirar direito dentro do capacete. Resolvemos que não daria pra continuar e fomos embora, o povo de Leme adorou a idéia, pois ainda tinham chão pra ir embora. Espero que depois dessa, ainda voltem, mas acho difícil viu, passaram um perrengue feio...

Ao povo de Leme, valeu pelo espírito esportivo, apesar de só termos tomado no #$%#, eles ainda riam da situação.

Esse fds tem mais, espero que com menos chuva. Ari, se resolvei ir avisa que levo capa de chuva.

Resumindo foi isso, pois se for colocar tudo que aconteceu naquele SACO ENSOPADO, nego nunca mais volta lá.

Abraço galera .

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Veloterra

Para ilustrar o post anterior vejam agora o vídeo em que Jé e Maurício dão uma voltinha no Veloterra na última sexta-feira.

sábado, 3 de outubro de 2009

Estreado o veloterra.

Saudações terráqueos.

Sexta feira 02/10/09 17 horas e vinte minutos. Esse foi o dia e horário de estréia da pista de veloterra. Jé, Mauricio e Tripa como protagonistas e Cuié, Zoio, Pipinu e Fefo como expectadores.

Foram algumas voltas só para sentirmos o circuito. Vou confessar uma coisa para vocês amigos trilheiros, precisa ter braço pra dar mais do que 5 voltas seguidas aceleradas nos 700 metros de pista composta por 7 curvas.

Ah, também já foi inaugurado o chão kkkk, o Tripa “alugou” um pedaçinho da pista, na saída do “S” kkkkk, sacudiu a poeira e voltou a acelerar.

A noite caíra rapidamente, nos obrigando a carregar as magrelas para regressar.

Sabadão tem mais.

Abraço a todos.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

EXTRA EXTRA EXTRA

Saudações terráqueos

É com grande satisfação que comunico os trilheiros de Pirassununga que o Veloterra do Zeromeia já esta pronto.

Está apenas faltando a fita zebrada.

Esse final de semana teremos inauguração.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Oi pessoal! Logo abaixo vocês poderão ver o vídeo com a galera subindo o top do carrapicheiro no último sábado!

Divirtam-se!



Para assistir diretamento no YouTube basta clicar aqui.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Rolê sabadão 26/09

Saudações terráqueos.

Sabadão 26/09 rolou uma trilha, e ainda por cima repleto de cachorrada.
Presentes: Jé, Joaninha, Fefo, Willian, Chralão, Cuié, Dú, Matheus, Samuca, Passoca, Mongo, Mauricio, Zeromeia, Tuco e o Laranjinha que não sei quem é.

Saímos pegando o circuitinho do BELO acelerando tudo que tinha as máquinas e ficamos um tempão no CARRAPICHEIRO, inclusive saltando.

Depois fomos para o PALMITEIRO, onde alguns subiram de boa, com exceção do Matheus que estava de máquina nova, e estava apanhando da magrela má, acabou dando um mortal, mochando a moto e furando o pneu.

Ficamos desfalcados, e partimos para a TUPEVA. Mauricio subiu. Na minha vez foi a surpresa, ao parar para alinha a motoca uma cascavel enrolou no pé e passou pelo meio da roda dianteira rsrs.

Passado o susto descemos a TUPEVA, subimos a 51 e depois descemos o SACOENSOPADO, onde uns 2 ou 3 “compraram” um pedacinho de chão.

Saímos acelerando sentido BONSUCESSO, a aceleramos mesmo, e muiiito, que ao chegar a dor tomava conta das mãos e braços.

Resolvemos conferir o andamento da construção do VELOTERRA. O trator já gradeou, só esta faltando a motoniveladora, que provavelmente irá essa semana.

Retornamos pegando os circuitinhos. Uns pelo jipeiro, outros pelo palmiteiro.

Dia agradabilíssimo.

Semana que vem tem mais.

Ahhh, semana que vem tem encontro em Divinolândia.

Abraço a todos.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Convite

Saudações terráqueos

Sabadão estava um tempo zambão, nublado e chuviscando. Antigamente era uma prato cheio um dia desses. Hoje em dia o povo esta mais sussa, evitando lama (nem parece trilheiro mais rs), entretanto rolou uma voltinha básica no sábado.

Estou aguardando alguem passar o resumo, mas até agora nada. Pelo que sei estavam presentes: Dú, Mauricio, joaninha, Tíu, Bananinha, Matheus e Tuco. O Tuco fazia o maior tempo que não andava e acelerou bastante para descarbonizar a magrela.

Enquanto o resumo não vem, aproveito a oportunidade para convidá-los para a 4ª TRILHA DE MOTOS DE Divinolândia - SP, que realizar-se-á dia 04/10/09.

Largada : trilha do Carrapixo
14:30 h : previsão de chegada

Inscrições:
R$ 30,00 + 1 Kg de alimento, que dará direito a : camiseta + trofeu - adesivo + refeição

O Convite foi feito pela Equipe Nova Era Off Road de Divinolândia.

Abraço a todos.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Aprendendo a tocar no veloterra

Saudações terráqueos.
Como sabem, ja estamos em plena construção do circuito de Veloterra do Zeromeia. Ja estaqueamos, e hoje começou a gradear o percurso para semana que vem finalizar o trabalho.
Agora todos os trilheiros de Pirassununga está se perguntando como se deve tocar em uma pista de veloterra.
Andei especulando por ai, e a dica é:
Primeiramente um talento na motoca, verificar nível de óleo, pressão dos pneus (2 libras, 1 na frente e outra atrás kkk).
Depois, o mais importante, ao sentar na moto, segure firme o guidão da magrela e vai verificar que tem uma pecinha do lado direito. É só enrolar essa pecinha até o final e pronto. kkkkkk
Brincadeiras a parte pessoal o negócio é só pegar os macetes das curvas e o reto é só acelerar né kkk.
Abraço a todos

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Rolê sabadão 12/09

Saudações terráqueos

Domingo 13/08 rolou encontro em Socorro e o Tíííu e o Cuié marcaram presença nesse encontro, que segundo eles estava show de bola, muito bem organizado.
Abraço ao pessoal de Socorro/SP.

Por aqui andamos no sábado 12/09 onde compareceram, Jé, Zeromeia, Engolear, Mô, Tripa, Matheus, Mongo e Tambaú.

Como havia chovido durante a semana, e depois fez um solzinho, o terreno estava apropriado pra enrolar o cabo, e foi o que fizemos.

Saímos acelerando no circuitinho do BELO que inclusive havia umas “regueiras”, mas nenhum desafio para nós.

Depois subimos o CARRAPICHEIRO, alguns varias vezes, inclusive saltando hehe.

Depois fomos para o PALMITEIRO, onde somente Eu e o Mô subiram na boa. O Tambaú tentou mas acabou virando piruleta e “mochou” a magrela kkkk. Os demais não tiveram coragem de arriscar com o TOP úmido.

Saímos depois acelerando sentido o Rafa pelos circuitinhos. Da entrada do Rafa partimos para o circuitinhos das 3 casinhas, e foi em umas dessas curvas que ao tentar ultrapassar o Engolear freou a magrela por causa de uma poça de água, e não consegui frear junto e enchi a traseira do Du, vindo ao chão, onde comprei uns par de metro de terra kkkkkk.
Sacudimos a terra e enchemos a mão, dessa vez nas 3 CASINHAS.

Descemos a pedreira e SUBIMOS o TOP BRANCO e depois o TOP QUEBRADO. A essas altura havia quebrado o guidão do Mongo e ele mais o Tambau saíram atrás de uma solda elétrica.

Enquanto isso o restante do pessoal decidiu fazer o circuitinho do MONTE SIÃO, onde assustamos. Isso mesmo, no final do circuito o Matheus se perdeu, freou a frente e veio a atingir o solo com uma certa “maldade”. Felizmente só alguns hematomas. Rs

Já estava ficando tarde, então resolvemos regressar ao ponto de partida, porém antes fizemos o circuitinho da CACIMBA “daquele” jeito.

Muito prazeroso o passeio.

Semana que vem tem mais.

Abraço a todos.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Resumo sabadão 05/09

Saudações terráqueos

Eita feriadinho bom para andar de moto heim pessoal ??? Pois é, mas mesmo assim aqui ninguém andou. Acho que o pessoal está enjoando das mesmas trilhas......

Porém não foi totalmente desperdiçado o dia de ontem, a diretoria da O.P.N.T. e seu conselho deliberativo acabou indo visitar o local do nosso mais novo empreendimento, o VELOTERRA DO 06.

Isso mesmo pessoal, já esta em projeto o melhor veloterra do brasil, o veloterra do ZEROMEIA, o qual será colocado em pauta para a próxima reunião ordinária, que realizar-se-á na próxima quarta feira.

Assuntos administrativos a parte vamos ao resumo de sabadão:

Presentes: Jé, Pipinu, Joaninha, Passoca, Zeromeia, Cersão, Matheus, Marcelim e Tambaú.

Partimos acelerando rumo ao circuito do BELO onde aceleramos um “porkim” e depois CARRAPICHEIRO onde subimos algumas vezes e o Eu treinando o salto.

Depois fomos para o PALMITEIRO onde Eu, Zeromeia, Passoca, Cersao, MArcelim subimos de boa, o Tambaú por pouco não subiu direto, é que no finalzinho uma arvore entrou no seu caminho rsrsrs, mas o mesmo partiu de onde havia ficado e subiu.

Depois fizemos a TUPEVA e Jé, Passoca e Cersão subiram a SURUCUCU. O Marcelim deu uma voadora de 360º para trás que esta até agora procurando a moto rsrs.

Alguns subiram a “avenida” 51 e depois descemos o SACO ENSOPADO onde, Joaninha e Tambáu compraram um “pedacim” de chão.

Fizemos os circuitinhos até o BONSUCESSO, onde somente Jé, Zeromeia, Passoca e Joaninha subiram. Alias aquilo ta uma regueira só, e ainda por cima não da pra ver nada por causa só mato alto.

Subimos a CERQUINHA e depois o BREJIM onde o Matheus tentou por varias vezes, assim como o Marcelim que acabou levando um capote.

Já estava ficando tarde, então resolvemos retornar ao BUTEKO do ZEROMEIA.

Carregamos as magrelas e posto.

Sabadão tem mais pessoal.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Resumo sabadao 29/08

Saudações terráqueos

Eita “lua” danada gente. Mesmo com uns trinta e poucos graus na cachola, nos juntamos sabadão para nosso rolezinho.

Presentes: Jé, Joaninha, Nicholas, Samuca, Mô, Tripa, Charlão (e suas caipirinhas), Mongo, André e Tambau. (acho q não esqueci de ninguém).

Quase um xérox da ultima vez que andei, mas vamos lá. Saímos e pegamos o circuitinho do BELO acelerando tudo que tinha as magrelas envenenadas.

Subimos o CARRAPICHEIRO, onde alguns até saltaram. Partimos para o PALMITEIRO que também esta uma avenida e quem se aventurou se deu bem.

Decidimos então fazer a TUPEVA e depois a SURUCUCU. Jé, Samuca, Mô e Charlão foram os únicos e subiram a SURUCUCU.

Subimos a 51, inclusive o Joaninha que tinha receio de subir. Nicholas e Tambau não arriscaram.

Descemos o SACO ENSOPADO, ali sim deu um trabalhinho. Primeiro eu (Jé) desci com a moto do Tripa, depois o Tambau comprou um pedacinho de chão. Nicholas foi mais ou menos assim como o Joaninha.

Passado o susto rumamos para a CERQUINHA passando pelos circuitinhos do BONSUCESSO, que por sua vez estava cheio de erosão.

Subimos a CERQUINHA e resolvemos abrir um novo TOP paralelamente ao BREJIM. Ficou show o TOP passando entre algumas arvores, porém perto da saída lá em baixo tem um brejo danado. Jé e Mauricio tentaram subir mas acabaram atolando até o guidão das magrelas.

Já estava ficando tarde então resolvemos retornar pelo mesmo caminho que fizemos, e foi no circuitinho do BONSUCESSO que o Charlão achou um buraco de barro que atolou até a oreia kkkkkkk.

Atravessamos o riozim do BELO onde alguns atolaram e onde o Nicholas quase entregou os pontos. Isso mesmo, o fiotão já estava cansado e acabou com suas forças no atolador do riozim .... é Nicholas, semana que vem tem mais .. rsrs

Pessoal foi mais ou menos isso ai.

Semana que vem tem mais.

Grande abraço a todos.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Sem preguiça

Saudações terráqueos.

Todo final de semana rola uma trilhinha, mas com essa chuva toda e o frio, o pessoal nao se animou muito para dar o tradicional rolê de sabado, a partimos para um churrasquinho básico.

Quaaaase todos, o Mô e o Tripa resolveram andar e partiram para Leme, onde andaram com o pessoal de la´.

Quem apareceu para andar sábado foi o Matheus, que começou agora e está com a corda toda, mas como não tinha parceiro abortou.

Passamos o dia inteiro na beira da churrasqueira e mesa de bilhar. Falando em mesa de bilhar a Nick não anda muito de moto, mas para jogar bilhar é um leão.

Porém no domingo 3 ou 4 resolveram dar uma voltinha. Sairam antes da chuva e partiram para Analandia, Cuié, Dú, Matheus e Charlão que no meio do caminho resolveu voltar por causa da chuva que caia.

Esse próximo final de semana haverá encontro em Tambaú conforme puderam ver no cartaz exposto no nosso blog, e com certeza alguns de nós marcará presença.

Um abraço a todos e uma otima semana.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Video pra relaxar

Encontro Tambaú


Teste Kawasak KX 450F 2009

Um dia com a nova Kawasaki KX 450F 2009 injetada



Clique na foto abaixo para ver o vídeo.
Kawasaki KX 450F 2009

A era da injeção eletrônica chegou para valer no Motocross e aos poucos vai mudando a maneira como pilotos e preparadores trabalham nas pistas. Fomos conferir de perto como funciona a novidade no mundo real em um dia de testes específicos para o ajuste da injeção realizado pela American Cross, com a KX 450F 2009.

A pista escolhida não podia ser melhor: o Motocross Racing Park em Mogi das Cruzes (SP), também conhecido como Pista do Português. Quem conhece o local sabe que abriga um circuito no bom e velho estilo do "motocross das antigas" aproveitando bem a topografia do terreno e com obstáculos artificiais e naturais para quem gosta de "torcer o cabo".

Foi disponibilizada uma motocicleta zero quilômetro, que foi a principal cobaia dos ajustes na alimentação. Estiveram presentes também os experientes pilotos Ricardo Kaphê e Marcello Bove, cada um com sua própria moto que já tinham pequenas modificações e ajustes preferidos dos respectivos donos.

Injeção eletrônica é a grande novidade do motor...

A injeção eletrônica elimina a necessidade de andar com um jogo de giclês para competir em situações tão opostas como calor e baixa altitude, ou por exemplo o frio a mais de 1.600 metros da cidade de Campos do Jordão. A eletrônica embarcada se encarrega de fazer os ajustes necessários para estas variações climáticas.
... que ficou também mais compacto e leve

Essa é a primeira grande vantagem da injeção eletrônica, mas não é a única. Com os ajustes possíveis podemos moldar o comportamento do motor para o estilo e gosto de cada piloto, ou seja, duas motocicletas exatamente iguais, podem ter comportamentos completamente distintos sem a troca ou preparação de nenhuma peça. É possível ajustar a mistura de combustível e o avanço da ignição para cada faixa de rotação e abertura do acelerador.

O kit para ajuste da injeção, assim como o da Honda CRF450R, é vendido como opcional e conta com o software e os plugs para conectar a parte eletrônica da moto ao computador. A grande diferença do sistema da Kawasaki para o da Honda é que ele possui um módulo de memória que grava a telemetria da motocicleta. Com isso é possível saber o quanto, e como, o piloto acelerou na pista e a faixa de giros mais utilizada entre outras informações. Dá para amarzenar até seis horas de aceleradas.

Mas a injeção eletrônica não foi a única novidade do modelo 2009. Apesar da mudança visual não parecer tão significativa, vários itens foram aprimorados neste ano.

Principais mudanças
Quadro de alumínio foi todo redesenhado perdendo 1,5 kg

O quadro de alumínio foi totalmente redesenhado assim como o subquadro gerando um ganho de pouco mais de 1,5 quilo no conjunto. Na dianteira uma nova mesa muda ligeiramente o ângulo do garfo. Na traseira a balança e links da suspensão são novos. O amortecedor teve o corpo redesenhado e recebeu um pistão que aumentou de 46 para 50mm.
O jogo de plásticos ganhou nova forma e uma cor mais vibrante. As pedaleiras também cresceram e oferecem uma plataforma bem maior. O motor foi remodelado e ficou mais compacto e leve. O cabeçote é 5mm mais curto, os canais de admissão e exaustão foram modificados. A taxa de compressão subiu de 12:1 para 12.5:1 graças ao novo pistão. Virabrequim, rotor do magneto e escape também foram aprimorados em relação ao modelo anterior.

A injeção eletrônica só trabalha sobre pressão. Por isso uma bomba de combústivel em alumínio com pressão de 50 psi foi instalada dentro do tanque da Kawasaki.

Ajustando seu motor


Software KX Racing fornece mapas pré-programados para ajuste do motor


Através de um notebook o preparador faz as mudanças de acordo com o desejo do piloto
Com o o software KX Racing instalado no notebook e os cabos conectados no controlador eletrônico ainda é preciso uma pequena bateria de motocicleta para alimentar o sistema. Ao contrário dos carros e motos de rua o sistema eletrônico das motocicletas de cross é alimentado diretamente pelo giro do motor, por isso para acessar o sistema eletrônico com a moto desligada a bateria externa se faz necessária.

O programa fornece alguns mapas pré-programados como "iniciante" e "piso liso" onde as respostas do motor são suavizadas e o "tração total" quando o motor libera todos os cavalos escondidos dentro dele.

Mas é no modo avançado que a brincadeira fica mais interessante. Como num videogame você pode ajustar detalhadamente cada intervalo de rotações e "desenhar" seu motor perfeito. É claro que o acerto ideal não aparece na primeira tentativa mas a infinidade de ajustes lhe permite caminhar na direção de seus desejos. Caso dê um passo para trás basta recarregar o último acerto e voltar a brincar. Se as coisas ficarem muito confusas o ajuste "standard" original de fábrica ajuda a botar tudo de novo nos eixos.


O programa permite acertar a moto

Na pista com nosso piloto de testes


A injeção eletrônica aboliu a necessidade da torneirinha de combustível e, pode estar certo, você não sentirá nenhuma falta dela. Esquecer a antiga preocupação em verificar se ela está ou não aberta provocou meu primeiro sorriso já sobre a nova Kawasaki 450. Que bom! Agora não é mais preciso dar aquela conferida básica na primeira volta do treino, pode-se acelerar sem medo de uma surpresa... Acelerar e sentir a resposta imediata! Esta é a sensação da moto injetada: sem buracos, com a força despejada ao menor giro do acelerador, impressão transmitida já na volta de aquecimento. É perceptível também como o freio motor é mais suave, fruto da melhor queima do combustível que é pulverizado dentro do cilindro.

E a Kawasaki não demora a mostrar suas qualidades. A posição de pilotagem e a a resposta do motor continuam excelentes, nem parece que ela passou por tantas mudanças, o piloto sente-se à vontade, como se já conhecesse a KXF. Em baixa e média rotações o modelo apresenta uma resposta muito linear, assim como era a moto carburada do ano passado. A grande surpresa está nos giros altos onde há claramente força extra. Isto a deixou mais eficiente em pistas de alta velocidade, trechos onde também se verifica o ponto forte do novo chassi, pois sobra estabilidade. Nas retas e curvas de alta a sensação de segurança é um convite a acelerar cada vez mais. Já nas curvas de baixa velocidade, senti certa dificuldade. Para contorná-las com eficiência achei que exige força, do contrário a tendência é abrir a tangência mais do que o desejado. Levei algumas voltas até me acostumar, mas quando encontrei a postura correta consegui boas curvas a uma velocidade surpreendente.

Motor injetado ganhou fôlego em giros altos


Também experimentei o modelo com três regulagens diferentes no mapa do motor, alterações que rapidamente são aplicadas através do software KX Racing. No final a configuração original foi a que mais agradou, com ampla faixa de giro e muita elasticidade. Uma das outras duas que testei deixou o motor mais forte em baixa e média, mas "roubou" a eficiência nas rotações mais altas, uma das características que mais agrada na KXF, por isso não funcionou bem na pista em que testamos, mas a impressão é que seria eficiente em um circuito pequeno e travado.

Nas suspensões o conjunto da traseira me pareceu perfeito: eficiente nas ondulações, tanto em freadas quanto nas saídas de curva, e preciso nos saltos secos onde foi mais exigido. Briguei um pouco com a frente, o piloto anterior havia fechado quatro cliques da compressão e talvez isto tenha refletido na minha sensação. Achei muito rígida, um acerto de certa forma áspero nos saltos. Como focamos novos testes no motor acabei não tendo a oportunidade de experimentar a moto com uma regulagem mais macia na frente, o que certamente a deixaria mais agradável nas recepções dos maiores obstáculos e de quebra mais dócil nas curvas mais fechadas. Os freios seguem como os da geração anterior, cumprem bem o trabalho com potência e precisão no acionamento.

Opinião do proprietário - Marcello Bove
Nos últimos 4 anos estive sempre de Honda CRF 450R, e em 2009 mudei para a Kawasaki 450 com a qual estou tendo uma grata surpresa. A moto tem uma ciclística bastante neutra, o que me deixou bastante a vontade logo na primeira vez que andei com ela. Fácil de manobrar nas curvas, ela se mantém bastante estável nas entradas, mantendo-se na linha que eu escolhi sem querer escorregar ou se levantar, comportamentos muito comuns nas 450s.

O motor com injeção eletrônica é bastante suave e progressivo, o que dá também a opção de andar mais maneiro, mas se quiser acelerar, ela responde a altura sem decepcionar com falta de potência ou de força, pricipalmente na média, que pro meu gosto é a faixa que eu mais utilizo devido as características das nossas pistas.

No campo de suspensão, a moto é praticamente perfeita, com garfos que absorvem muito bem os buracos pequenos e médios, e ainda resistem muito bem a recepções de pulos mesmo quando a recepção é ultrapassada. O amortecedor traseiro também é muito suave tanto nas entradas de curva quanto na hora de passar a potência para o chão, mantendo a moto estável, mesmo assim sempre pronta para mudar de trajetória na hora que você quiser.

Aproveitando o dia de testes, resolvi colocar na moto o IBooster (amplificador de centelha), para analisar seu desempenho em motocicletas com injeção eletrônica, já que havia usado este acessório apenas nas carburadas. O resultado foi surpreendente, com a melhora da queima do combustível, a moto melhorou seu desempenho em todas as faixas de giro, deixando ela mais esperta e com um pouco mais de alta. Acredito que, por conta dos nossos combustíveis, é um excelente investimento e um ótimo custo benefício.

Agradecimentos:
- American Cross (Concessionária Kawasaki) - Contato (11) 4034-0690.
- Pista Motocross Racing Park - Mogi das Cruzes, SP.
- Pilotos Marcello Bove e Ricardo Kaphê.

Ficha Técnica Kawasaki KX 450 F
Motor Monocilindrico quatro tempos refrigerado a água. DOHC 4 válvulas.
Capacidade 449cc
DiâmetroX Curso 96.0 x 62.1mm
Taxa de compressão 12.5:1
Alimentação Injeção eletrônica Keihin corpo 43mm
Ignição Digital DC-CDI
Cáster / trail 26.7 graus / 116mm
Suspensão dianteira Kayaba invertida 48mm, compressão com 22 posições e retorno com 20 posições. Curso 315 mm
Suspensão traseira UNI-TRAK® Amortecedor Kayaba, Compressão com 22 posições mais ajuste "High Speed" e retorno com 20 posições. Curso 315 mm
Pneu dianteiro 90/100-21
Pneu traseiro 120/80-19
Freio dianteiro Disco semiflutuante 250mm com duplo pistão
Freio traseiro Disco 240mm com pistão único.
Comprimento 2184mm
Largura 820mm
Altura 1280mm
Entre-eixos 1480mm
Distância livre do solo 340mm
Altura do assento 965mm
Peso 112 kgs.
Tanque 7 litros
Cor Verde limão


Fonte MotoX.com.br -
Fotos: Lucídio Arruda -
Piloto: Maurício Arruda

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Rolê sabadão 15/08

Saudações terráqueos

Eita, demorou mas chegou sabadão, e não fizemos de rogados, nos juntamos para o tradicional role:
Presentes: Jé, Joaninha, Zeromeia, Passoca, Fefo, Ramon, Mauricio, Matheus, Nicolas, Samuel e Cotonete.

O sol tava rachando mamona e um “trigo” a estrada, mas saímos acelerando rumo a circuitinho do BELO e depois CARRAPICHEIRO, onde quase todos subiram. O Joaninha saiu voando do outro lado e largou a magrela se espatifar no chão. O Nicolas que estava debutando já caiu na “largada”, Cotonete nem tentou. Os demais não tiveram qualquer problema.

Subimos a TUPEVA e na SURUCUCU, Mauricio caiu mas subiu, Samuca, Jé e Passoca subiram de boa, Zeromeia tentou 2 vezes e abortou os demais não arriscaram.

Subimos a 51 e descemos o SACO ENSOPADO onde alguns “compraram” um pedaçinho do chão rsrs.

Fomo pelo circuitinho até a entrada do circuito do BONSUCESSO, onde pifou a motoca do Passoca. O escoltamos até a nossa chácara e voltamos, dessa vez pelo Mamonal. Ao atravessarmos o riozim mais uma baixa. Dessa vez foi o Fefo que furou o pneu e teve que voltar.

Saímos acelerando e dessa vez foi o Nicolas que comprou um pedaçim de chão. Entrou em uma regueira e capotou. O Cotonete também acabou embolando junto. Sacudiram a poeira e mão na máquina.

Fizemos o Circuitinho do BONSUCESSO e fomos para a CERQUINHA. Jé, Mauricio e Zeromeia subiram, Matheus tentou mas tombou no meio. A essa altura o restante do pessoal havia ficado.

Subimos a CERQUINHA, Jé, Mauricio e Zeromeia, Matheus tentou 2 vezes e por pouco não conseguiu.

Ficamos sabendo então que o Ramon havia quebrado. Regressamos então para guinchar o meninão.

Já voltando, mais um pneu, dessa vez o Joaninha, mas acabou indo pra casa assim mesmo.

Pessoal foi isso ai, domingão teve uma cachorrada que também foi andar, se passarem o resumo coloco no blog.

Abraço a todos e até sabadão.

Ahhh, nosso amigo Cuié juntamente com o Miruka, Luizão e Thor foram no encontro de Serra Negra.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Semana esquisita

Saudações terráqueos



Pôxa com toda essas festas andamos pouco né pessoal.



Quinta feira no feriadão rolou um pegauinha.

Presentes: Jé, Mô, Dú, MArcelinho e Tripa.

Estava um calor lascado, mas somos brasileiros e não desistimos hehe.

Partimos então, pegamos o circuitinho do Belo onde aceleramos bastante e depois subimos o CARRAPICHEIRO onde todos subimos. Só o tripa que deu uns 3 mortais, mas chacoalhou a poeira e voltou a acelerar.

No PALMITEIRO só Jé e Dú subiram e sem problemas. Aliás, teve uma cachorrada que foi andar de manhã e no meio do TOP alguem deixou um pedaço de moto. Com certeza viraram piruleta lá.

Saimos acelerando rumo circuito do RAFA. Como estava um poeirão danado e um calor escadante, resolvemos voltar e fazer o TOP ENGOLEAR, mas só o Jé e Mauricio subiram. Atravessamos o riozim subimos o BREJIM, Jé, Mauricio e Dú que deu uma enroscadinha. Descemos a CERQUINHA e voltamos pelo circuitinho do BONSUCESSO, que mais parecia uma areia movediça.

Foi um pega gostoso, porém cansativo, e então regressamos.

No sabadão a cachorrada foi andar, Tííííu, Joaninha, Broinha, Pipinu e Caio debaixo dessa "lua". Andaram bastante e a cachorradinha caindo pra todo lado rsrs.

Depois de todas essas festas, esse final de semana tudo volta ao normal.

Abraço a todos.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Respondendo

Saudações terráqueos

Gostaria de agradecer a todos que visitam nosso blog e deixam aqui seus comentários.
Olha só, gostaria de mandar um abração para a Paloma lá da “roça” que esse mês esta completando mais um ano de vida, PARABENS PALOMA.

Outro recado vai para Pámela, que diz estar vindo pra Piracity este find, e perguntou dos pontos turísticos de Pira. Bom, essa semana é aniversário da cidade e vai rolar a exposhow com vários artistas. Um lugar bastante visitado é a cachoeira de emas distante 7 Km da cidade, onde também se encontra o eco museu.

Abaixo o link oficial da cidade com seus principais pontos turísticos.
http://www.pirassununga.sp.gov.br/turismo/

Agora quanto as trilhas, fica difícil de descrever os caminhos a serem seguidos por serem vários, mas ficam do lado da “serra azul”. Estamos por aqui.

Abraço a todos.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Resumo 01/08 enviada por Dú

Presentes no local:


Dú, Mauricio, Samuel, Heitor, Marcelo, Passoca e Matheus (novo integrante) só não sabemos se ele vorta pq o bicho tava só o pó...kkkkk


Seguimos para circuitinho do Belo e aceleramos firme, já na primeira curva o Samuel levou um pedaço de terra no peito, fomos para o carrapicheiro, onde todos subiram de boa com excessão do Matheus mais demos um desconto pra ele... seguimos para o Parmitero onde Mauricio e Dú subiu de boa o resto da cachorrada que tentou subir foi arrastado... seguimos pelos circitinhos acelerando tudo até o Top do Engole Ar e o Top do lado que não me lembro o nome...


Fizemos os circuitinhos do Bom Sucesso onde Marcelo e Ralfe levaram um pedaço de terra pra casa, aliás tava um festival de tombo viu... eeeee cachorrada... seguimos para o Paulão tomar aquela Caipora, fizemos o circuitinho do Paulão onde no final da ultima curva o Marcelo novamente levou terra, Braquiara e quase uns morões de cerca tb pra casa, kkkkkkk mais felizmente ninguém se machucou...


É isso ai, agora é só esperar até Quinta-Feira pra pra acelerarmos de novo...

Elaborado e escrito por Dú

Trilha no feriado

Saudações terráqueos

Esse final de semana teve rolê sim, foi a cachorrada, então estamos esperando um cachorrão mandar o resumo pra gente colocar no blog.

Olha só, quinta feira 06/08 é feriado em Pirassununga, então convido os trilheiros de plantão para fazermos uma trilhinha após o almoço, ou seja as 14:00 horas no mesmo local de encontro.

Abraço a todos.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Traição na Canastra

Pessoal esse negocio de traição é um problema sério.





Eu ainda acho que são "coisas" que o pessoal coloca na cabeça, mas sei lá.





Eu não ia colocar isso em publico se não tivesse provas.





Mas, diante dos fatos, fico atado, e como ja esta correndo de boca em boca, vou divulgar a imagem, antes que caia em mãos erradas.





Eis o traidor, na cama de um quarto com a "amante" ao lado. ISSO QUE É CIUMES da "outra".

Vai ser zeloso la longe heim kkkkkkkkk

Abraço a todos

terça-feira, 21 de julho de 2009

V Expedição Pirassununga/Canastra/09


Saudações terráqueos




Aiai, após 3 dias na Serra da Canastra, voltamos de almas lavadas para enfrentarmos mais algumas semanas para um novo descanso rsrs.

Partimos sexta feira 17/07, Zeromeia, Jé, Joaninha, Engolear, Tííííu, Cuié, Charlão, Fefo, Ramon, ((foram p/ andar de moto)) Zuffo, Zebu e Marcelo para Delfinópolis, onde nos hospedamos.

Sábado pela manhã, chegou Pardal, Paulinho, Bordim, Obama, Bilé e Filho e Onofre (Santa Rita Passa Quatro), Rafa e Amigo (Rib. Preto)

Partimos sentido São João Batista do Glória, passando por vários Morros, JIPEIRO, ESQUENTA BRAÇO, TRILHA DO OURO entre muito outros.



Encontramos-nos com os carros de apoio para o almoço na prainha da GASPARINA, onde depois acabamos nos encontrando com o Miruka, Lê Franceschini e Luizão. Nossos marinheiros de primeira viagem (Zuffo e Joaninha) estavam encantados com o cenário que nos contemplavam.

Partimos e subimos todos (com exceção do Miruka, Luizão e Lê que subiram pelo caminho das galinhas kkk) o MORRO da DENTADURA e o MANICOTO onde apenas o Tíííu e o Cuié conseguiram subir. Jé faltou um “pelinho” e Dú também acabou ficando no meio do morro, os demais não tiveram coragem kkk.




Após aproximadamente 110 Km chegamos no Glória, onde nos hospedamos e fizemos a tradicional confraternização regrada a “tupeva” gelada e rango preparada pelo nosso amigo Charlão e Vadinho.

Amanheceu, tomamos um belo café e partimos sentido Vargem Bonita. Motos de um lado e os carros de outro, mas já acertados para almoçarmos todos juntos de novo.

Já começamos a “esquentar o braço” pelo MORRO DO MIRANTE e depois TRILHA DO HELÍCOPTERO. Passamos pela Pousada Canteiros, onde pegaríamos o RISCO BRANCO e depois a TRILHA DO SERROTE entre muito outros morros que desconhecemos os nomes, mas muiiiito show de bola.




Em um desses morros, que acho que deveria se chamar SUSPENSÃO É TUDO rs, a suspensão do Jé explodiu e o motor do Ramom abriu o bico.

Ainda passamos pelo MORRO DO PUDIM.

Fomos até o riozim onde os carros estavam nos esperando para o tradicional almoço.

Amarramos a moto do Ramon na Moto do Fefo e partimos para Vargem Bonita onde nos hospedamos, após 140 Km de estrada.







E lá nos deparamos com essa criatura, o Vagalume, mais conhecido, e muito bem conhecido na cidade e região o Pessoa. Claro que o Cuié e o Dú quiseram uma foto com o ilustríssimo.





Carregamos a moto do Ramon na camionete do Bilé.

Acordamos 7:00 horas, e partimos sentido Delfinópolis onde estava os demais veículos.
Voltamos junto com o Zuffo pelas estradas, mas sempre que possível subindo os maravilhosos morros da Canastra.

Chegamos aproximadamente umas 15:00 horas na pousada, onde tomamos banho e regressamos para nossos respectivos lares.

Como disse no o início, de ALMA LAVADA.

Queria mandar um abraço a todos NOSSOS AMIGOS que marcaram presença nesse encontro, que deixaram nosso passeio ainda mais gratificante e um OBRIGADO em especial ao nosso amigo Charlão que tomou a frente de tudo com muito carinho e capricho se encarregando da organização de tudo, e aos motoristas dos carros de apoio, Zuffo, Bilé, Bordim e Rafa (que foi embora sabado a noite)

Ano que vem tem a VI expedição Pirassununga/Canastra.

Abraço a todos.














terça-feira, 14 de julho de 2009

Resumo final de semana

Saudações terráqueos

Apesar de ter rolado uma volta no feriado de quinta feira 09/07 e sabadão 11/07 não temos resumo.
Explico!
O fiotão aqui pegou a gripe do bode kkkk, mas acho que nao foi o bode do Cuié não kkk, e acabei não indo andar esse find.
Ainda espero que um pobr mortal me passe pelo menos os melhores momentos.

Só sei que o Joaninha comprou um "terreninhu" no SACO ENSOPADO sabadão, e que os trilheiros tomaram muita chuva depois de terem tomado muita pinga no Paulo kkkk.

A turma só anda de moto quando bebem, ---- MAS COMO TÃO ANDANDO DE MOTO ESSA TURMA HEIM --- kkkkkkkk

Esse proximo final de semana estaremos indo para Canastra (eitaaa lugar bão sô).

Semana que vem contamos as novidades. Só sei que estamos indo em aproximadamente 25 sortudos.

ÈNOIS.

Teste Honda XRE 300 2010

Substituta da Tornado chega mais sofisticada e com nova proposta

Nova Honda XRE 300

Prevista para chegar aos concessionários no mês de agosto, o novo modelo nascido a partir da XR 250 Tornado vem com motor de maior capacidade, injeção eletrônica, ciclística aprimorada e uma nova proposta de posicionamento no mercado.

A XRE 300 chega com a dura tarefa de atender os orfãos de dois modelos de grande sucesso da marca que deixaram a linha de produção ao final do ano passado: XR 250 Tornado e NX4 Falcon. Para isto a fábrica apostou antes de tudo em um design ousado. Os detalhes do modelo e nossas impressões após a apresentação realizada à imprensa no CETH (Centro Educacional de Trânsito Honda) em Indaiatuba, SP, contamos abaixo.

Design agressivo

Modelo chega ao mercado no mês de Agosto

A primeira vista o visual da nova trail, ou melhor, adventure média da Honda, pode chocar os mais tradicionalistas. O conceito da XRE é o de "adventure touring", que encara tanto o dia a dia dos grandes centros urbanos quanto viagens e suas linhas deixam isto claro.

As linhas de seu design são agressivas e dão porte à motocicleta que tem seu assento 2 cm mais baixo que a Tornado. O farol, mais potente, é fixo na carenagem deixando as manobras com o guidão mais leves. O banco em dois níveis foi redesenhado para dar mais conforto ao garupa. A nova posição evita os frequentes escorregões do passageiro para cima do piloto tão comuns na Tornado. As pedaleiras traseiras também foram reposicionadas com a mesma intenção. Quem vai atrás ganhou também novas e bem acabadas alças de segurança.

Mas o ponto de "destaque" do design é o paralama dianteiro fixo, onde muitos "Tornadeiros" à primeira vista torceram o nariz. Solução já usada em modelos grandes da Suzuki, KTM e BMW tem a vantagem de não vibrar em altas velocidades, interferindo menos na aerodinâmica da motocicleta. O "bico de pato" é complementado por um pequeno paralama rente à roda que deve ser retirado no caso de incursões no barro pesado, pois a chance de travar o conjunto será grande.


Design ousado marca a identidade do novo modelo

Ciclística

A ciclística permaneceu bastante próxima a da Tornado

Painel digital inclui relógio e marcador de combustível.

A Honda fez questão de manter a alma da Tornado neste aspecto. As mudanças foram amenas no ângulo de cáster e distância entre-eixos. A suspensão dianteira permaneceu com curso de 245mm enquanto a traseira ficou com 225mm, praticamente o mesmo que a Tornado com o amortecedor traseiro montado na posição mais baixa - na posição alta o curso era de 242mm. Na XRE 300 não há mais essa regulagem.

Uma boa novidade foi a adoção do freio a disco traseiro, com pinça de pistão simples e disco de 220mm garantindo maior precisão e segurança nas frenagens. Na nossa opinião este é um item indispensável em qualquer motocicleta acima de 125cc. O tambor já devia estar banido das linhas de montagem há algum tempo.

Motor

Apesar da configuração e visual semelhantes, o 250cc da Tornado e o motor da XRE 300, compartilham apenas as válvulas segundo os engenheiros da Honda. Todo o resto é novo, principalmente o sistema de alimentação.

A injeção eletrônica chegou e uma das principais preocupações da fábrica foi com o nível de emissões. O novo motor atende aos níveis do PROMOT com margens ao redor de 50% inferiores aos limites do programa.

A potência subiu de 23,3 para 26,1 CVs na mesma faixa de 7500 rpms. No torque o ganho foi mais expressivo passando de 2,42 para 2,81 kgfm, uma melhora ao redor de 16%.


A maior elasticidade do motor permitiu reduzir o número de marchas de 6 para 5. A relação da primeira e última marchas permaneceu a mesma enquanto a distância de escalonamento nas marchas intermediárias aumentou.

Segundo a Honda o nível de consumo - apesar da fábrica não divulgar números - permanece o mesmo apesar do aumento de capacidade e desempenho. Neste ponto a injeção eletrônica faz seu papel com recursos como melhor aproveitamento conforme as condições climáticas e o "cut-off" que corta a alimentação durante as frenagens e descidas quando o acelerador permanece fechado.

Como anda a XRE300?

Os 10kg ganhos com a reestilização são bem percebidos com a moto parada. Mas em movimento essa diferença desaparece. O painel e o farol suspensos, acoplados na carenagem, são uma boa sacada. Deixam a moto mais maleável e neste ponto a sensação não é de uma moto com 144 kg, o guidão trabalha livre e solto.

O motor tem o funcionamento suave e progressivo, embora os ruídos mecânicos estejam bem presentes, uma herança da Tornado, característica dos motores refrigerados a ar.

No asfalto o conforto, o equilíbrio e a segurança são claramente superiores à sua antecessora. A posição de pilotagem é bem diferente, mais baixa e encaixando o piloto na moto, sutilmente diferente da antiga trail de postura mais ereta, mas com diferenças significativas no comportamento, muito mais eficiente nesta utilização.

Demos também umas voltinhas pelo campo e por estradas de terra, onde ela não decepcionou. O conforto, mesmo com garupa, é surpreendente. Subindo e descendo pequenos barrancos, e degraus, ela foi bem com os freios transmitindo muita segurança. Para passeios leves é uma moto gostosa, encara bem a terra.


Posição de pilotagem ficou mais "on" e menos "off"


Vai à trilha?


Off-Road leve não é problema para a XRE300
Hoje a estratégia da Honda define bem a atuação de cada um de seus modelos. O consumidor deve seguir a mesma linha, ou seja, "cada macaco no seu galho". A XRE 300 encara o trânsito com conforto podendo também enfrentar viagens onde estradas de terra não serão problema, mas quem busca o off-road pesado deve pensar na CRF 230, um modelo totalmente focado no segmento (ou então os modelos profissionais importados e consequentemente mais caros).

Mas a XRE encara uma trilha? Ela herdou da Tornado suspensões de longo curso, evoluiu em freios e motor, por isso andar no mato, claro, é possível... mas definitivamente este não é o foco do modelo. Para usá-la na trilha há necessidade de depenar toda moto (o novo "bico" dianteiro não combina com mata fechada), mas mesmo realizando dezenas de modificações, a "alma" do projeto é "estradeiro" (e isto não muda). Portanto, como dito no início deste parágrafo, adote a linha "cada macaco no seu galho" e seja feliz.

Mercado

A previsão da Honda é de vender em torno de 40.000 unidades da XRE 300 no período de 12 meses. O preço sugerido é de R$ 12.890,00 (base Estado de São Paulo) e não inclui despesas com frete e seguro. As opções de cores são as seguintes: preta, vermelha e amarela metálica A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.



Opinião do piloto


Pilotamos a Honda XRE 300 nos ambientes propostos ao modelo: no circuito com cones formado nos "boxes" do CETH de Indaiatuba, nas estradas asfaltadas dos arredores, em estradas de terra com garupa e um pequeno off-road leve em pastos da região.

Podemos afirmar que o modelo caminhou na direção certa em relação a nova proposta. No asfalto a principal diferença em relação a Tornado é o melhor equilíbrio nas frenagens e entradas de curva. Com a XRE 300 é possível abusar bem mais nas entradas de curvas. A motocicleta mantém a trajetória desejada sem sustos enquanto a Tornado perde a traseira bem mais cedo e consequentemente abre o traçado.

O fato do guidão estar livre do peso de painel, paralama e farol ajuda e muito na maneabilidade em curvas fechadas e no zig-zag do trânsito das grandes cidades.

Na estrada os 50cc a mais fazem a diferença facilitando a manutenção de velocidades acima dos 100km/h. A carenagem protege bem o piloto enquanto o novo paralama evita as vibrações na dianteira por causa do vento. O tanque maior também ajuda na maior autonomia.

Um dos principais trunfos da XRE 300 é o conforto do garupa. O novo banco mudou a sensação do garupa da água pro vinho. Quem vai atrás fica numa situação bem mais estável o que reflete também nas reações mais seguras do piloto. Mesmo na estrada de terra, com cascalho e piso bem irregular, a vida do passageiro não foi uma tortura, pelo contrário, foi possível trafegar com um nível adequado de conforto para a situação.



Off-Road - Sem muitas delongas: ela encara um off-road leve e só. De pé a posição do piloto é muito parecida com a Tornado, mas o volume maior do tanque e a extensão da carenagem limitam bastante a mobilidade do condutor.

Ele encara as voltinhas no sítio ou fazenda com muita competência e volta para a cidade fazendo um bom trabalho. Mas para quem quer mesmo se enfiar nas trilhas ela não é uma boa escolha, pelo peso, posição de pilotagem e a quantidade de adaptações para deixá-la em condições de enfrentar o barro.

Motor - Tirando as reações um pouco ríspidas no início das reacelerações (quando se fecha completamente o acelerador em baixas rotações e se acelera tudo novamente) o motor nos agradou bastante.

A injeção eletrônica trouxe um funcionamento bastante linear com boa força em baixas e médias rotações. Graças a elasticidade do motor o câmbio, mesmo com uma marcha a menos deu conta do recado muito bem, sem buracos ou falta de agilidade entre as trocas. A manutenção de velocidades acima dos 100km/h também ficou mais fácil graças ao maior fôlego do motor.
Redação MotoX.com.br - Fotos: Lucídio Arruda / Maurício Arruda / C. Mattos / Honda

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Resumo sabadao 04/07

Saudações terráqueos

Esse find foi “forte”. Tem gente procurando o caminho de casa até agora, né Fabiao rsrs.

Presentes no mesmo horário, Jé, Engolear, Joaninha, Placenta, Tíííííu, Zeromeia, Fabio NH, Samuca e Marcelo fórum. Ao descer a moto, o Joaninha percebeu que o eixo do câmbio estava zambão e nem saiu.

Filmadora ligada e partimos pegando pelo circuitinho do BELO e CARRAPICHEIRO, onde com exceção do Marcelo, todos subiram.

Depois SUBIMOS o PALMITEIRO.

Fizemos a TUPEVA. Tíííu, Dú, Jé e Fabio subiram a SURUCUCU, o restante ficou com medo.

Subimos a 51, descemos a CASCAVEL e pegamos o circuitinho do BONSUCESSO e aceleramos as máquinas. Foi um belo pega, mas “garganta” não ganha espaço né gente, nem anda na frente kkkkkk.

Fomos até a CERQUINHA, onde todos subiram, apenas o Marcelo que resolvera voltar por causa do pneu.

Subimos o BREJIM que estava um brejo mesmo.

Atravessamos o riozim e subimos o TOP ENGOLEAR e PEIDO NA CARA, onde o Tíííu caiu e quebrou a manete. O Fabio caiu e quebrou o protetor de mão. Ao sairmos o Samuca constatou que seu pneu estava furado e regressou.

Continuamos tocando “daquele” jeito pelos circuitinhos, até chegarmos nas 3 CASINHAS. Paramos descansamos um pouco e fizemos então o circuito das 3 CASINHAS e na ultima curva, o Jé foi fazer um zerinho e a moto tombou kkkk. A magrela quase deu 360º e fez o meninão comprar 1 alqueire de chão hashaishaish. Sacudiu a poeira e mão no acelerador. Foi quando o Fabio de tão pra trás que tava, acabou se perdendo. Tíííu e Zeromeia voltaram para buscar o meninão.

Zeromeia, Mô e Dú fizeram a trilha intactos rsrs.

Pessoal foi mais ou menos isso.

Grande abraço a todos e até quinta feira, feriado.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Porque a injeção eletrônica passou a ser aplicada nas motocicletas

Guia de Injeção Eletrônica

Adeus carburador. Sistema de Injeção Eletrônica está cada vez mais presente nos novos modelos de motocicletas, tendência que também chega com força aos modelos off-road

A partir de agora, vamos iniciar uma série de matérias, explorando o universo da Injeção Eletrônica em motocicletas, nas quais pretendemos trazer muitos esclarecimentos para aqueles que possuem dúvidas sobre o assunto.


No motocross as 450cc com Injeção Eletrônica são a coqueluche do momento

Primeiro, é fundamental explicar porque a injeção eletrônica passou a ser aplicada nas motocicletas Street e Off Road.

O principal motivo para a implantação desse sistema é diminuir a emissão dos gases poluentes na atmosfera, conforme as exigências dos órgãos governamentais. Através de testes executados, constatou-se que uma motocicleta carburada polui a atmosfera proporcionalmente dez vezes mais que um veículo da linha leve com Injeção Eletrônica.

No Brasil, já contávamos com motores alimentados com este sistema, porém, somente em motocicletas de grande porte e importadas. Agora, Fazer, Titan 150, Bros e Biz possuem este sistema de alimentação de combustível, ou seja, agora a Injeção Eletrônica está presente em motocicletas de pequeno, médio e grande porte.

Com essa nova tendência, a Injeção Eletrônica de combustíveis cada vez mais estará presente nos novos modelos até se alcançar a totalidade da produção de motores para motocicletas produzidas no país e no mundo.

Em razão disso, os profissionais que estão diretamente envolvidos com a manutenção dessas máquinas, obrigatoriamente deverão se reciclar tecnicamente, em busca de atualizações preciosas para o dia a dia.

Do carburador para injeção eletrônica

O carburador reinou nos motores das motocicletas durante muitos anos, e sabemos que tanto o avanço tecnológico quanto algumas mudanças nos carburadores levaram décadas para serem aplicados, e mesmo assim se tratava de um componente mecânico limitado a modificações que pudessem gerar resultados nem sempre significativos. Para se trabalhar um carburador para uma determinada pista, este estaria limitado às condições as quais este componente foi retrabalhado.


Graças à introdução do sistema de Injeção Eletrônica, muita coisa mudou. A eletrônica nos possibilita uma grande gama de alterações quanto ao torque que se deseja estipular para cada tipo de motocicleta, como por exemplo, provas com pistas mais longas onde o piloto necessita de torque e velocidade final mais agressiva, ou para pistas curtas, com maior número de manobras e torque em baixa maior.

Enfim, através da eletrônica aplicada nos sistemas de alimentação, a evolução que demorava dez anos poderá, agora, demorar apenas um, além de nos possibilitar maiores recursos em uma preparação. Só que toda esta tecnologia tem que ser muito bem estudada e compreendida antes de se pensar em realizar qualquer tipo de mudança (remapeamento).

A grande diferença entre um sistema carburado e um sistema injetado é que, inicialmente, o índice de emissões de poluentes no sistema injetado é constantemente monitorado, permitindo alcançar os índices de emissões desejados.

No Brasil, alguns gases devem ser monitorados, como CO, CO², HC, O² e o NOX. Porém, para os motores das motocicletas estão sendo fiscalizados o CO (Monóxido de Carbono), tendo-se em vista o curto espaço de tempo, o HC (Hidrocarboneto) e NOX (Óxido de Nitrogênio).

Existem métodos para se verificar o valor do CO com utilização de equipamentos simples.

Como funciona

Os sistemas de Injeção Eletrônica poderão ter diferenças entre um sistema e outro, pois estão baseados em duas partes fundamentais que são o hardware (componentes físicos que se consegue enxergar, como sensores, atuadores, chicote, MCE) e o software (Programas operacionais - Protocolos).

Para que os sistemas funcionem em perfeita harmonia, é necessário que todo o conjunto esteja em perfeitas condições de funcionamento e, principalmente, dentro dos parâmetros estabelecidos pelo sistema.


Pelo Módulo de Controle (MCE) é possível obter um relatório que demonstra de forma numérica o que está acontecendo ou o que aconteceu no sistema


Normalmente, o sistema dispõe de uma estratégia de autodiagnose, indicando "prováveis" avarias. Quando isto ocorre, existem estratégias de Recover, que tentam fazer com que o sistema continue trabalhando mesmo com os defeitos registrados.

Além desta estratégia existem ainda outras, como a de autoadaptividade (adapta-se ao desgaste do motor, ou a determinados ajustes emergenciais).

Muitas vezes, é possível obter um relatório gerado pelo Módulo de Controle (MCE), que demonstra de forma numérica o que está acontecendo ou o que aconteceu no sistema.

Estes códigos são de suma importância para o diagnóstico de falhas, porém não se deve confiar plenamente no resultado obtido. Muitas vezes, poderá haver um defeito (mecânico) externo ao sistema que poderá mascarar a verdadeira causa da falha apresentada.

MotoX.com.br - Por Rino Liciani Júnior

terça-feira, 30 de junho de 2009

Resumo sabadão

Saudações terráqueos

As vezes me pergunto, porque é tão bom andar de moto ????? daí vem sabadão e está tudo respondido ..... ainda mais depois de ver as filmagens, daí sim, tenho certeza o porque dessa higiene mental, que nos dá força para encararmos a semana seguinte.

Bom chega de lenga lenga e vamos aos fatos de sábado 27/06.

Pirassununga, sábado, 27/06, 14:30, terreno bastante úmido devido as chuvas do dia anterior, mas mesmo assim estavam presentes: Jé, Joaninha, Dú, Cuié, Marcelinho (de moto nova), Celso, Ademir, Fernando, Michel, Samuca, Cotonete, Zeromeia, Mauricio e Tripa.

Cotonete porque parou de tirar as fotos ?? Pode tratar de voltar heim ....

Como falei, por causa da chuva impossibilitando de subir os tops, decidimos pelos circuitinhos, passando antes pelo CARRAPICHEIRO, onde estava molhado, e somente Mauricio, Jé, Samuca e Dú conseguiram.

Queríamos ir para o TOP QUEBRADO, então fomos acelerando pelos circuitinhos. Primeiro pelo circuitinho do RAFA e depois pelo circuitinho paralelo das 3 CASINHAS, onde o Tripa “beijou o chão”. No bambuzeiro esperamos reagrupar e aceleramos novamente pelo circuitinho das 3 casinhas, que por sua vez estava “garrando” muiiito.

Fomos então para o TOP BRANCO, onde o Jé abriu uma subida paralela e alguns conseguiram subir. O Dú subiu pela persistência. Tentou varias vezes o no final foi contemplado por uma bela subida. O Zeromeia deu 380º na lurdynha, que não gostou anda, porque na tentativa seguinte mandou o piloto pro chão, sacudiu a poeira e mão na máquina. Cuié conseguiu na segunda tentativa. Cersão e Mauricio subiram na primeira. Samuca após algumas. Fernando (Ademir) tentou várias vezes com a moto nova também mas sem sucesso.

O pior estava por vir, o TOP QUEBRADO. Com exceção de Jé, Dú e Cuié TODOS os demais subiram pelo lado das “GALINHA MORTA”. Ta certo que foram exaustivos as tentativas. Não subimos como dizemos aqui “bonito”, porém somos TRILHEIROS DE PIRASSUNUNGA e NÂO desistimos. Subimos então, na “covardia”, mas subimos.

Descansamos um pouco, e a essas alturas formava um temporal, então decidimos regressar para evitar toda aquela chuva.

Saímos acelerando mais uma vez praticamente pelos circuitinhos que viemos sem maiores emoções.

Pessoal, espero que esse espírito esportivo e principalmente de companheirismo nos acompanhe até um dia que não possamos mais ficar equilibrados em cima de nossas motos, aí sim, partiremos para outras aventuras, mas nunca deixando de lado essa paixão que nos move, A AMIZADE, porque todos já sabem né, quem tem AMIGO .....


Grande abraço a todos e até sábado que vem.

Em tempo, quem for para Canastra precisa confirmar com o Charlão.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Resumo sabado 20/06

Saudações terráqueos

Presentes sabadão: Jé, Pipinu, Mô, Tripa, Dú, Samuca, Marcelinhu, Zeromeia, Fefão, Lemão, Ramom, Cuié e Nick.
Em tempo, o Passoca também estava presente.

Partimos acelerando pelo circuitinho do Belo até o CARRAPICHEIRO, onde quase todos subiram.

Depois PALMITEIRO, onde com exceção do Fefo, Tripa e Pipinu todos subiram também sem maiores problemas.

Descemos a CASCAVEL, subimos a 51 e descemos o SACO ENSOPADO, onde o Samuca desceu a moto para o Pipinu, e o Mô desceu a moto do Tripa.

Saímos acelerando pelos circuitinho até o BONSUCESSO e depois para a CERQUINHA, onde o Fefão “inventou” uma rotatória no meio do top, agarrou uma árvore que arrancou com raiz e tudo. A magrela ficou um pouquinho zambeta mas o Fefão saiu intacto da proeza rsrsrs.

Fomos então para o BREJIM, onde subimos também, e em uma das subidas o Placenta estava parado lá em cima bem na saída do Top e o Jé veio com tudo e deu de frente com ele, mas só susto mesmo. Lemão subiu várias vezes para pegar o jeito novamente da magrela.

Atravessamos o riozim e fomos para o TOP ENGOLEAR onde até o tripa se aventurou e por muito pouco não conseguiu subir até o final. Abrimos um meio que em diagonal a esse top onde subimos algumas vezes também.

Retornamos pelo riozim e fomos embora acelerando pelos circuitinhos.

Foi mais ou menos isso ai pessoal, sabadão tem mais, e daqui pra frente vai ter a prova do crime, pois estaremos filmando a trilha inteira.

Abraço a todos e até sabadão.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Final de semana


Saudações terráqueos...

Como sabem, este final de semana que passou, rolou encontro em Caconde, porém fomos representados somente pelo nosso amigo 6.000% Cuié, que segundo o pessoal da Grama não esta perdendo nem encontro da terceira idade kkkkk. È isso mesmo Cuié, tem que sair mesmo e prestigiar as trilhas vizinhas ampliando nosso rool seleto de amizades.
Grande abraço aos nossos amigos da Grama de cuidaram do Cuié. Aliás, deixamos aqui o convite a vocês viu, Zoinhu, Thiago , Milton e Cia para andar por aqui.

Bom, esse final de semana também como de costume teve trilha, porém ficaram de passar o resumo pra mim (que não pude ir) né Engolear, mas tudo bem.

Pelo que sei estiveram presentes o Engolear, Placenta, Tripa, Ademir, Fernando, Cotonete e Samuca.

Agora falem uma coisa pra mim, será que eles andaram mesmo ??? olhem a foto e me respondam ??????


Olha a sujeira desse cara na foto, quem será que esta fazendo isso com ele Dú ???? Só porque ele anda lá pra trás, e o cachorro perta fica fazendo xixi na roda dele, não precisavam deixa-lo assim né pessoal !!??


Agora eu queria saber porque o Cuié esta “tão” pertinho do Cotonete, o que será que estão se ajeitando ???? Eita esses centenários kkkkkk



Gente grande abraço a todos e até sabadão

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Encontro em Caconde


Galera esse final de semana rola encontro em Caconde/SP


A parte tirste da história é que esta previsto chuva para esse final de semana, mas o convite esta feito.

Rolê no feriado

Saudações terráqueos pirassununguenses

Se não chover muito, amanhã (11/05) vai rolar uma trilha.

Saída prevista para as 14:30.

Abraço a todos

Encontro de Monte Sião-MG

Olá terráqueos


Ano passado marcamos presença nesse encontro e faremos o possível para estarmos lá novamente esse ano, ainda mais que nosso amigo Cuié foi mas não andou, porém "experimentou" o chopp de Monte Sião né Tíííu rsrs


Rolê em Guararema - Convite

Saudações terráqueos





Com grande satisfação passamos o convite do pessoal de Guararema


Grande abraço ao nosso amigo trilheiro Eduardo do tribos e trilhas.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Rolê sabadão 07/06

Saudações terráqueos.

Presentes para o tradicional sabatino: Lemão, Cotonete, Samuca, Polegar, Jé, Pipinu, Dú, Lucas, Zeromeia, Marcelinho, Charlão, Mauricio e Tripa.

Partimos acelerando para o CARRAPICHEIRO, onde subimos varias vezes, e em uma delas o Charlão saltou tanto que foi parar na estrada .... no chão mas na estrada hihi.

Descemos a CASCAVEL, Polaegar, Dú, Samuca e Lucas desceram até o final para subir a SURUCUCU, porém apenas o Polegar e o Dú subiram.

Subimos a TUPEVA ao contrário, e o Tripa e o Pipinu se enroscando por tudo. Ainda bem que tinha o Cotonete que também estava apanhando mas sempre ajudando os meninos.

Descemos mais uma vez a CASCAVEL só que agora iríamos descer o SACO ENSOPADO.

Partimos então acelerando tudo que tinha rumo ao BOMSUCESSO. Ahhhh, a essa altura tínhamos dado falta do Lucas, onde o mesmo havia se perdido ao descer a segunda vez a CASCAVEL.

Seguimos para a CERQUINHA, onde Jé, Mô, Lemão, Charlão, Dú, Samuca, Polegar e Lucas que havia achado o rasto e nos achou e subiram de boa. Fomos para o BREJIM onde todos subiram também.

Retornamos, nos encontramos com o Cotonete, Marcelinho, Pipinu e Tripa que haviam ficado antes do brejo.

Fizemos o CAFEZINHO.

Resolvemos dar uma passadinha no sítio do Paulo e Seu Jorge, onde fomos recepcionados com os ingredientes para algumas caipirinha, e o Cotonete juntamente com o Mauricio não perderam tempo e fizeram uns 3 ou 4 copos.

Todos satisfeitos, partimos para nossas respectivas casas.

Abraço a todos e até o próximo role.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Nova tornado 300cc - XRE300

Sai uma foto oficial de divulgação da nova Honda XRE 300 2009, a substituta da XR 250 Tornado.



Especificações técnicas da Honda XRE 300 2009:

MOTOR - DOHC, monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar
CILINDRADA - 291,6cc
POTÊNCIA MÁXIMA - 26,1cv a 7.500 rpm
TORQUE MÁXIMO - 2,81kgf.m a 6.000 rpm
ALIMENTAÇÃO - Injeção Eletrônica PGM-FI
TRANSMISSÃO - 5 velocidades
SISTEMA DE PARTIDA - Elétrico
SISTEMA DE IGNIÇÃO - Eletrônica
BATERIA - 12V – 5Ah
CAPACIDADE DO TANQUE - 12,4 litros
CHASSI - Berço semi-duplo
SUSPENSÃO DIANTEIRA / CURSO - Garfo telescópico / 245mm
SUSPENSÃO TRASEIRA / CURSO - Pro-link / 225mm
FREIO DIANTEIRO / DIÂMETRO - A disco / 256mm
FREIO TRASEIRO / DIÂMETRO - A disco / 220mm
PNEU DIANTEIRO - 90/90 – 21M/C 54S
PNEU TRASEIRO - 120/80 – 18M/C 62S
DIMENSÕES (C x L x A) - 2.171 x 830 x 1.181mm
PESO SECO - 144,5kg

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Resumo trilha sabadão 30/05

Saudações terráqueos

Presentes no mesmo trilha local e horário: Placenta, Tripa, Cotonete, Samuca, Ramon, Fefo, Lemão, Cersão, Marcelo, Charlão, Jé, Joaninha, Cuié e Nick.

Partimos direto para o CARRAPICHEIRO, mas antes aceleramos no circuitinho do BELO.

Com exceção de Cotonete e Joaninha, todos subiram o CARRAPICHEIRO, alguns varias vezes. Teve trilheiro saltando o morro.

E o Cotonete filmando.

Partimos depois de alguns saltos e filmagens para o PALMITEIRO, onde subimos com tranqüilidade também. Foi quando o Engolear chegou e subiu também.

O Cotonete tirando foto.

Descemos a CASCAVEL, subimos a 51 e descemos o SACO ENSOPADO.

Partimos então pelos circuitinhos sentido BONSUCESSO e depois para a CERQUINHA.

O Cotonete tirando foto.

Jé, Placenta, Lemão, Samuca, Charlão e Cersão subiram de boa, os demais foram pelo brejo até o BREJIM, onde subimos sem maiores dificuldades.

Atravessamos o riozim e ficamos subindo o TOP ENGOLEAR, mais conhecido como peidonacara.

O Cotonete tirando foto.

Então alguns decidiram fazer a TRILHA 8, enquanto outros ficaram treinando no BREJIM.
Atravessamos o riozim e fizemos então a TRILHA 8, Charlão, Jé, Samuca, Marcelo, Ramon e Fefo.

Fizemos a trilha então rapidinho e nos encontramos com os demais na CERQUINHA.

Saímos então acelerando pegando uns caminhos novos que por sua vez estava cheio de erosão. Mas mesmo assim foi muito prazeroso.

Para finalizar fizemos o circuitinho das CACIMBAS, mais conhecido como GALINHA AO MEIO, né Dú. Kkkkkkkkkk

Sabadão tem mais.

Abraço a todos.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Encontro em Casa Branca

Saudações terraqueos.

Com grande satisfação que comunicamos a todos os trilheiros de Pirassununga que, nesse proximo final de semana 30 e 31 de maio haverá encontro na cidade de Casa Branca.

O pessoal já esta se organizando para o encontro.

Abraço a todos.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Resumo domingão 24/05 - Enviada por Itápolis

Presentes no domingão logo cedo...

Fernando Tiú, Caio, Pipino, Celso, Lucas, Passoca, Luizão, Thor, Demir, e Fernandinho, e o filho do Joci motos, o Jocizinho. E depois Maurício atrasado nos encontrou no morro do palmito.

Saímos da chácara sentido Carrapicheiro, todos subiram de boa, pois ta uma avenida. Seguimos para o Palmito, a maioria subiu, Ademir tentou derrubar umas duas árvores e desistiu. De lá voltamos e descemos a Cascavel, brincamos um pouco na 51, e descemos o Saco ensopado. De lá seguimos circuito até o Rafa, a maioria subiu a cerquinha e o outro morro, Depois entramos na trilha pra sair no morro novo e no magazine. De lá o pessoal seguiu de volta pro Palmito, e Demir, Lucas, Fernando e Passoca tocaram sentido Rancho do Carmo.

Resumo sabadão 23/05

Saudações terráqueos ...

Sabadão presentes: Mô, Tripa, Cotonete, Samuca, Lemão, Jé, Pipinu, Joaninha, Cuié, Fefo.

Saímos no mesmo horário de sempre destino CARRAPICHEIRO, onde a maioria subiu de boa. Jé e Samuca saltaram. Tripa tentou várias vezes e subiu também. Mô subiu com a moto do Tripa e Jé subiu com a do Pipinu.

Cotonete, Fefo e Joaninha esperaram o pessoal ir para o PALMITEIRO para ficarem treinando, e parece que levaram um capote.

Subimos o PALMITEIRO que mais parece uma avenida com regueira. Todos que tentaram subiram sem problemas.

O Cotonete tirando foto.

Partimos então para o RAFA, descemos o MAGAZINE e subimos varias vezes o top ENGOLEAR, Mô, Jé, Cuié, Samuca e Fefo.

O Cotonete tirando foto.

Atravessamos o riozim e subimos o BREJIM, Mô, Jé, Cuié, Samuca, Lemão e Fefo. Descemos pela CERQUINHA que por sua fez esta cheio de pedras soltas.

O Cotonete tirando foto.

Foi quando o Jé notou que a roda traseira estava zambona e resolveu voltar com o Pipinu e Cuié, e os demais partiram para o Sítio do Paulo, onde tomaram um “veneno” por lá rsrsrsrsr.

O Cotonete tirando foto.

Semana que vem tem mais pessoal.

abraço

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Começa a correria para o Sertões 2009

O percurso da 17ª edição do Rally Internacional dos Sertões foi revelado na manhã desta quarta-feira, em São Paulo. O evento será realizado entre os dias 23 de junho e 3 de julho, com largada em Goiânia (GO) e chegada em Natal (RN). Serão 5.038 km no total, com mais da metade, 2.888 km, de especiais.

O Sertões 2009 passa por sete Estados. Em Goiás, nas cidades de Goiânia, Santa Helena, Cidade de Goiás e Minaçu. No Tocantins, em Palmas, na Bahia passará por Luís Eduardo Magalhães e Barra. Em Pernambuco, na cidade de Petrolina, no Ceará, em Juazeiro do Norte, na Paraíba, em Caicó e no Rio Grande do Norte, em Natal.

Ainda com as inscrições abertas, a edição deste ano já conta com competidores de onze nacionalidades diferentes (Portugal, Espanha, Alemanha, Bélgica, França, Argentina, Chile, Uruguai, Colômbia, Qatar e Brasil). Também de nacionalidades variadas, mais de 200 jornalistas devem se credenciar para a corrida. O investimento das principais equipes varia de R$ 300 mil a R$ 3 milhões. Em média, cada edição da corrida gera 22 horas ininterruptas de imagens transmitidas via satélite.

Válido como etapa do Campeonato Mundial para motos, o Sertões reúne ainda carros, quadriciclos e caminhões.

O Rally dos Sertões 2009 tem supervisão da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) e Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA).

Roteiro:
23/06: Super Prime em Goiânia

24/06 1ª etapa: Goiânia (GO) até Santa Helena (GO)
Total do dia: 327km / Total da especial: 256km

25/06 2ª etapa: Santa Helena (GO) até Cidade de Goiás (GO)
Total do dia: 469km / Total da especial: 334km

26/06 3ª etapa: Cidade de Goiás (GO) até Minaçu (GO)
Total do dia: 636km / Total da especial: 393km

27/06 4ª etapa: Minaçu (GO) até Palmas (TO)
Total do dia: 762km / Total da especial: 487km

28/06 5ª etapa: Palmas (TO) até Luís Eduardo Magalhães (BA)
Total do dia: 538km / Total da especial: 300km

29/06 6ª etapa: Luís Eduardo Magalhães (BA) até Barra (BA)
Total do dia: 558km / Total da especial: 364km

30/06 7ª etapa: Barra (BA) até Petrolina (PE)
Total do dia: 543km / Total da especial: 235km

01/07 8ª etapa: Petrolina (PE) até Juazeiro do Norte (CE)
Total do dia: 421km / Total da especial: 213km

02/07 9ª etapa: Juazeiro do Norte (CE) até Caicó (RN)
Total do dia: 439km / Total da especial: 184km

03/07 10ª etapa: Caicó (RN) até Natal (RN)
Total do dia: 350km / Total da especial: 114km




Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Mais um brasileiro realiza o Backflip.

Confira o vídeo Fred Kyrillos completa manobra com sucesso nos Estados Unidos

O último domingo, 17, foi especial para o piloto Fred Kyrillos. O paulista, que segue com uma série de treinos e apresentações nos Estados Unidos, realizou pela primeira vez um Backflip, manobra em que a moto completa um giro para trás.

O salto do atleta de Motocross Freestyle foi registrado em vídeo, assim como sua emoção pelo sucesso na realização da manobra. Confira abaixo as imagens do piloto da equipe Ride and Party:

RS1 reativa berço do off-road em São Paulo

Tradicional ponto dos paulistas apaixonados por fora de estrada será reinaugurado pela RS1 na sexta-feira, dia 22

RS1 terá nova filial em São Paulo, na antiga sede da Moto Shelter/Jacaré

O mais antigo e tradicional ponto de vendas de produtos off-road do mercado,considerado inclusive o berço deste segmento no país estará novamente à disposição dos apaixonados por motociclismo fora de estrada. A antiga sede da Moto Shelter/Jacaré será reinaugurada na próxima sexta-feira, dia 22 de maio, agora sob a adminstração da conhecida loja RS1.

"Contaremos com um novo espaço, muito maior do que a anterior, contando com 2 pavimentos amplos, espaçosos e funcionais. O local com certeza agradará os visitantes e clientes que terão novamente um referência quando o assunto for equipamento e acessórios para off road", afirma Rubens Sales, diretor da RS1.

Esta será a segunda loja da empresa na cidade de São Paulo tendo sua matriz em Sorocaba e filiais em Belo Horizonte (MG), Campinas (SP) e Morungaba (SP), está última disponível a partir desde o dia 17, com abertura somente nos finais de semana e feriados.

A RS1 não para por aí, em breve a empresa promete mais novidades com a abertura de novas lojas em novas cidades do país. Conheça as lojas no site da RS1.
Mais informações pelo telefone (15) 3414-1400.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Resumo final de semana

Saudações terráqueos

Após mas um episódio de Cotobino e Celpedro, vamos aos fatos do fim de semana.

Sabadão no mesmo local e horário, presentes: Cotonete, Samuca, Celso, Cuié, Fefo, Jé, Dú, Passoca, Joaninha e Marcelo.

Como estava molhado, de comum acordo partimos para AnalândiaCity, mais precisamente em direção a o Rosim. Partimos então, primeiro passamos pelo CARRAPICHEIRO pra ver ser havia alguma possibilidade de subirmos, Celso e Samuca tentaram, porém ficaram no meio do caminho. Aliás, nem tatu de chuteira subia, e ao mesmo tempo o Cotonete nos seus clicks. Aliás como todo mundo ta falando, o Cotonete só sabe tirar foto kkkkk, subir que é bom nada.

Saímos acelerando direto para Analândia. Devido as chuvas e vento, tinha inúmeras árvores caídas pela estrada.

Ao chegarmos o Placenta, Zeromeia e Tripa chegaram na cola. O Momgo também vinha com eles, mas por problemas mecânicos resolveu voltar.

Tomamos ums 2 capiiiirinnhas adoçadas com mel, e uma tupeva cada um, regrado de uma porção de mandioca frita com pimenta. Aliás, acho que teve escapamento que queimou no domingão hehe.

Já era umas 17:30, então resolvemos retornar aos nossos lares. Para surpresa de todos, no meio do caminho encontramos o Mongo, que acaba parando de vez. A essas alturas, nosso fotografo já estava sem condições de tirar foto. Bem que ele tentava, mas so queria saber de abraçar o Joaninha. Rsrs

O Passoca já tomou a frente e amarrou uma corda na kadela do Mongo e viemos na boa até a NOSSA CHACARA.

Sabadão foi isso aí.

No Domingo, o pessoal da Grama havia nos feito um convite para darmos um role por lá, mas devido a chuva a maioria desistiu.
Porém fomos representados por Cuié e Dú.

Basicamente fizeram o mesmo percurso do encontro, mas como todos sabem, foi show de bola.

O pessoal da Grama perguntou de todos, e mandaram um abraço, o qual aproveitamos a oportunidade para retribuirmos, e deixar o convite a eles para uma visita em Pira.

Grande abraço a todos e uma ótima semana.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Resumo trilha 09/05 - Enviada por Itápolis

Presentes Itápolis, Mauricio, Cotonete, Thor, e Samuca.

Galera reunida esperando o lindo dono da chácara chegar... Saímos sentido morro do CARRAQPICHEIRO onde todos subiram e o cotonete ficou na sessão de fotos. Depois morro do PALMITO onde todos subiram também umas duas ou três vezes cada e cotonete abusando dos flash´s.

Depois voltamos até perto do CARRAPICHEIRO ali e entramos naquela trilha com o top cheio de pedras, A tupeva.

Saímos na surucucu onde Mauricio tentou e não subiu, Cotonetinho tentou e não subiu, e o Thor tentou por ultimo chegou quase lá e ai Itápolis e Cotonete pai ajudaram ele a chegar pra riba.

Ai Mauricio e cotonetinho continuaram lá por baixo e Thor, Itápolis e Cotonete foram por cima, cortamos a cascavel e paramos no próximo morro so pra brincar, A 51.

Ai tocamos pra frente pra descer a pedra.. (SACO ENSOPADO) que tava liso igual sabão. Mauricio na frente.. Lucas atrás comprou aquele terreninho depois da pedra.. ai vieram Thor Cotonetinho e por fim cotonete que comprou um lote de terreno perto do Itápolis.

Ai saímos lá fora no ar livre.. Mauricio aliviado pois sua chaleira ia parar de ferver é claro tocamos sentido circuitinho (não sei o nome) e fomos sair no Rafa na contra-mao.. ai subiram a CERQUINHA.. Thor Mauricio e cotonetinho.
Lucas e Cotonete continuaram pela via infantil. Próximo morro (BREJIM) todos subiram Itápolis tentou uns 4 vezes e subiu. Ai fomos para MAGAZINE onde todos subiram e cotonete precisou daquele “empurrãozinho”

Por fim paramos em um sitio (não lembro o nome do dono kkkk) onde pra variar tinha uma companheira (leia-se TDR 180) viiiixe.

Depois de lá voltamos fazendo circutinho.. o Cotonetinho adrenalizado tentando colar no Mauricio e claro tomo aquele rola e queimou um pouco a perna.

Ai Mauricio, Thor e Cotonetinho voltaram fazendo circutinho e Itápolis e Cotonete voltaram sentindo morro do CARRAPICHEIRO onde Itápolis subiu mais umas vezes e Cotonete fotografou pro Orkut!

Ai voltamos a nos encontrar na chácara e por fim mais um ótimo passeio de sabadão